Nova ponte na Praia Fluvial de Palheiros e Zorro arranca hoje

O presidente da Câmara Municipal de Coimbra (CMC), Manuel Machado, assinou hoje o auto de consignação da empreitada “Ponte Pedonal na Praia Fluvial de Palheiros e Zorro”. A obra fica assim entregue à empresa Conduril-Engenharia, S.A., como deliberado na reunião do executivo camarário de 19 de setembro. O presidente da autarquia salienta que este investimento, de cerca de 580 mil euros, “vem corresponder a um compromisso” que a CMC assumiu ao longo do tempo e que irá “tornar este este espaço ainda mais aprazível”.

A nova ponte na Praia Fluvial de Palheiros e Zorro será uma realidade daqui a cerca de meio ano. Manuel Machado, que assinou esta manhã o auto de consignação da empreitada, salientou que este investimento municipal “é o resultado da afirmação de dizer basta de deitar dinheiro ao rio”, referindo-se ao atual passadiço de madeira, que tem de ser reposto anualmente, pois é levado pelas correntes durante o inverno.

O presidente da CMC recordou os primórdios do usufruto do local enquanto Praia Fluvial. “Começamos em 1997 a criar este espaço [bar da praia] para valorizar Coimbra e o seu património natural, promovendo o convívio e a relação saudável entre as comunidades e o rio Mondego”. Manuel Machado agradeceu ainda a disponibilidade do arquiteto em assumir este desafio.

Por seu turno o presidente da Junta de Freguesia das Torres do Mondego, Paulo Cardoso, afirmou que o ato de hoje representa “um dia histórico para a freguesia”. “É uma reivindicação antiga das populações, ter uma ligação que seja perene e não vá todos os anos pelo rio abaixo”, frisou.

“Estamos aqui a cumprir uma promessa que foi feita aqui pelo senhor presidente. (…) Em 1997, foi o senhor presidente Manuel Machado que inaugurou este espaço e é com ele que damos mais um contributo enorme para valorizar este local da nossa Freguesia”, salientou Paulo Cardoso.

Segundo o presidente da Junta de Freguesia das Torres do Mondego, a construção da nova ponte pedonal e ciclável irá dotar a freguesia de melhores infraestruturas. “Tudo o que valorize este espaço é fundamental para as populações”, salientou.

Esta empreitada consiste na execução de uma estrutura metálica sobre o rio Mondego e possibilitará a travessia de peões, bicicletas e de veículos ligeiros de emergência, em condições de perfeita segurança, durante todo o ano. A empreitada inclui, também, intervenções nas margens, para a sua consolidação, e nos acessos à nova ponte, estando ainda prevista a remodelação de serviços afetados e a execução de rede de baixa tensão para permitir a instalação de iluminação pública.

A nova ponte terá uma extensão de 145 metros e estará assente em pilares de betão armado. Esta nova ligação, cujo projeto foi apresentado no mês de abril de 2017, foi estudada por forma a garantir uma boa inserção em ambas as margens do rio, procurando minimizar o impacto, sobretudo na margem esquerda, onde a ponte e os acessos se elevam em relação à envolvente. Na margem direita, o espaço de entrada no tabuleiro é garantido por uma plataforma que estabelece o apoio da ponte e a relação de cotas entre o arruamento e o caminho que sobe até à estrada nacional 110 e o acesso ao rio através da Rua Porto Meio.

A cota definida para o tabuleiro da ponte é determinada pela cota de cheia centenária e margem de segurança. A ponte proposta é uma estrutura treliçada de perfis de aço que se desenvolve entre dois maciços de acesso em betão armado, localizados nas margens. Apresentará três tramos com idêntica secção transversal e dois de remate, em consola, junto às margens. A dimensão dos vãos é de cerca de 10 metros, junto às margens, a que se juntam três vãos de aproximadamente 40 metros, para um total de 145 metros entre apoios.

O tabuleiro da ponte terá 2,50m de largura e pendente inferior a 2%. No total, a estrutura mede 3,50m de largura e 3,50m de altura. O pavimento será em chapa galvanizada perfurada.

A assinatura do auto de consignação desta empreitada, que decorreu no bar da Praia Fluvial de Palheiros e Zorro, contou ainda com a presença do vereador da CMC, Carlos Cidade, do arquiteto Camilo Cortesão, do representante da firma adjudicatária dos referidos trabalhos, Ricardo Mendes, e de diversos técnicos municipais que irão acompanhar a obra.