Caminhos Pedonais de Santa Clara / Calçada de Sta. Isabel:

 

 

Designação do projeto:: Caminhos Pedonais de Santa Clara / Calçada de Sta. Isabel”

Código do projeto: CENTRO-09-1406-FEDER-000050;

Objetivo principal: Proteger o ambiente e promover a eficiência dos recursos;

Região de intervenção: Centro – Região de Coimbra;

Entidade beneficiária: Município de Coimbra;

 

 

Data de aprovação: 12.06.2019;

Data de início: 01.07.2019;

Data de conclusão: 31.12.2020;

Investimento total: 1.289.438,33 €;

Investimento elegível:1.103.429,51 €;

Apoio financeiro da União EuropeiaFEDER (85%): 937.915,08 €;

 

 

Objetivos, atividades e resultados esperados/atingidos:

Esta operação em concreto constitui uma rápida ligação entre as zonas alta e baixa de Santa Clara, apresentando também uma importante componente turística e patrimonial (Convento de Sta. Clara-a-Nova, Convento de S. Francisco, Convento de Sta. Clara-a-Velha, entre outros). Trata-se de uma artéria muito percorrida por pedestres, tanto para culto religioso, não só dos devotos à Rainha Santa Isabel, mas também dos peregrinos que percorrem o Caminho Português de Santiago de Compostela, cujo itinerário passa aqui, como para fins turísticos e culturais e possui atualmente características e lacunas que não dignificam este percurso. É uma via bastante inclinada, constituída por pavimentos não adequados às suas características. A ausência de marcação e de hierarquia do espaço público leva a uma intensa conflitualidade peão/automóvel. Acresce a estas questões que parte do pavimento se encontra muito degradado em várias zonas, apresentando irregularidades e “abatimentos” perigosos para os transeuntes e que os dias de chuva agravam a sua periculosidade porque o piso torna-se também escorregadio. Por outro lado, sendo o passeio que serve o edificado exíguo ou inexistente, há riscos acrescidos de atropelamento uma vez que o casario se desenvolve à face da rua. A intervenção preconizada para este eixo visa colmatar as deficiências, melhorando a acessibilidade dos percursos na área da Calçada de Santa Isabel mediante a dotação de condições adequadas em termos de segurança, conforto e acessibilidade segundo os padrões atuais para a circulação pedonal, designadamente ao nível dos pavimentos, da colocação de guardas e corrimãos em pontos específicos, de iluminação (iluminação viária e iluminação cénica dos pontos notáveis existentes), de zonas de estacionamento regrado e de modernização de infraestruturas urbanas que, de entre outras, permitirão dar acessibilidade às redes de comunicação e informação. A hierarquização espacial e a melhoria das acessibilidades estimulam o controlo e segurança da circulação pedonal/automóvel, com a consequente redução efetiva da circulação de veículos ou mesmo o seu desincentivo, reforçando a maior utilização do transporte público. O pavimento rodoviário da rua será para manter em calçada de seixo devendo, por questões ambientais, ser reutilizado o seixo existente no pavimento atual. Este pavimento, associado ao facto de o percurso ser acidentado e o sentido de trânsito automóvel ser somente descendente, reduz quer o consumo de combustíveis dos veículos automóveis, quer a velocidade. Turistas e devotos à Rainha Santa Isabel eram antigamente, a par dos residentes, os principais transeuntes da Calçada de Santa Isabel, nos dias de hoje, esta zona apresenta renovadas dinâmicas sociais e económicas de relevo, impulsionadas por grandes investimentos públicos e privados. O aumento do número de transeuntes, que se prevê crescente nos próximos anos devido a essas dinâmicas, faz com que a implementação da operação se torne inadiável e indispensável para a sustentabilidade social e ambiental da zona. Sendo uma zona com pontos de vista privilegiados sobre a paisagem de Coimbra pretende-se criar condições para a contemplação dessa paisagem e dotar o espaço de mobiliário urbano com características compatíveis com a especificidade do local.

 

 

Com a presente aprovação haverá que cumprir os seguintes indicadores de realização e de resultado:

  • Indicador de realização: Vias dedicadas à mobilidade suave: Meta 0,48 Km – Ano Alvo 2021;
  • Indicador de resultado: Emissão estimada dos gases com efeitos de estufa: Meta 238.615,78 Ton/CO2 – Ano Alvo 2023.

 

A presente candidatura surge na sequência da aprovação do PEDU e respetivo contrato entre o Município de Coimbra e a Autoridade de Gestão do Programa Operacional Regional do Centro (Centro 2020), datado de 31.05.2016.

Pesquisa avançada

Login

Erro

O seu browser não está atualizado!

Atualize o seu browser de modo a ver corretamente este website. Atualizar o meu browser

×