Mestrandos da FCTUC vão acompanhar operações de dragagem e obras de reabilitação das margens do rio Mondego

O executivo da Câmara Municipal de Coimbra (CMC) aprovou, por unanimidade, na reunião do executivo que está a decorrer, a celebração de um acordo de colaboração entre a CMC e o Departamento de Ciências da Terra (DCT) da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), para que os alunos de mestrado deste departamento possam fazer o acompanhamento das obras de responsabilidade municipal, no âmbito de um estágio curricular. Estes estágios irão incidir, especificamente, sobre as operações de dragagem e a reabilitação das margens do rio Mondego.

O pedido é efetuado pela DCT da FCTUC, na sequência da colaboração que teve na elaboração do estudo geológico e geotécnico das margens do rio Mondego, em parceria com a CMC e o Instituto Pedro Nunes. O objetivo passa, agora, por proporcionar a participação dos alunos de mestrado do DCT no acompanhamento dos trabalhos que estão em curso no âmbito das empreitadas de “Desassoreamento da Albufeira do Açude Ponte de Coimbra” e de “Estabilização da Margem Direita do Rio Mondego, entre a Ponte de Santa Clara e o Açude Ponte de Coimbra”. Uma forma da autarquia colaborar com a universidade na formação dos alunos em contexto prático.

O acordo implica, por parte da CMC, “a disponibilização de acompanhamento técnico adequado das deslocações à obra e a disponibilização de dados dos trabalhos em curso ou a realizar, de modo a que os alunos de mestrado possam realizar uma formação de elevado nível, mas também possam contribuir com o seu trabalho para a qualidade dos trabalhos a realizar”, lê-se na proposta enviada pelo DCT. A instalação e os equipamentos necessários aos alunos de mestrado serão assegurados pelo DCT, que designará, também, um orientador científico para apoiar e orientar os trabalhos a realizar por cada aluno. A CMC deverá designar também um responsável pelos trabalhos, que acompanhe e oriente as atividades no local de estágio.