Coimbra vai aderir à Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis

O executivo da Câmara Municipal de Coimbra (CMC) aprovou, por unanimidade, na sua reunião de ontem, uma proposta de adesão do Município de Coimbra à Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis. Esta Rede é uma associação de municípios que tem por objeto a promoção de políticas locais de saúde, segundo os princípios da estratégia Saúde para Todos da Organização Mundial de Saúde (OMS). Recorde-se que a CMC criou, para este mandato, o pelouro da Saúde, sendo um dos poucos municípios em que tal acontece, o que denota a importância atribuída a esta temática.

A promoção da saúde e da qualidade de vida dos cidadãos é, cada vez mais, uma prioridade na agenda dos decisores políticos a nível local. A missão é criar uma cidade saudável, não só pelo acesso a cuidados de saúde diretos, mas também pela realização de ações e de iniciativas que promovam estilos de vida saudáveis. A proposta para a integração de Coimbra na Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis é uma dessas medidas, tendo em conta que “o trabalho em rede traz mais-valias para cada um dos municípios que nela participam, pois permite a troca de experiências, o acesso facilitado a informações, e ainda o trabalho em parceria com várias entidades, permitindo o desenvolvimento de projetos de maior envergadura e abrangência”, lê-se na informação que foi analisada na última reunião de Câmara.

A Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis foi constituída em 1997, tendo Coimbra sido um dos municípios fundadores. Contudo, em 2003 foi determinada a saída de Coimbra desta associação pelo executivo municipal da época. A proposta é, agora, que Coimbra volte a aderir a esta rede. “A integração do Município de Coimbra nesta rede permitirá, designadamente, promover políticas locais de saúde, segundo os princípios da estratégia Saúde para Todos da OMS, integrando e desenvolvendo iniciativas promotoras de uma cidade saudável, algumas delas já em curso no Município de Coimbra”, considera a vereadora Regina Bento, que propôs a adesão de Coimbra à rede.

A Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis tem, pois, a missão de promover a estratégia Saúde para Todos; intervir e participar ativamente na reflexão e debate nacional sobre políticas que condicionam a saúde das populações; apoiar e incentivar a construção de estratégias locais de promoção da saúde; participar na Rede Europeia de Cidades Saudáveis e nos espaços de debate promovidos pela OMS; estabelecer parcerias e acordos de colaboração com organismos e entidades que alarguem e reforcem o compromisso na implementação de políticas locais de promoção da saúde; garantir uma efetiva circulação de informação entre os municípios sobre a estratégia e as atividades do projeto Cidades Saudáveis da OMS; promover a troca de experiências e a circulação de informação entre todos os parceiros; e, por último, facilitar a cooperação entre os municípios da rede e outras cidades europeias envolvidas no projeto Cidades Saudáveis.

A adesão à rede implica o pagamento de uma quota anual, que no caso de Coimbra perfaz a quantia de 1676, 53 euros, referente ao ano 2018, segundo informação da cidade líder desta rede, o Seixal.