Engenharia e Transformação Digital são mote de Congresso no CSF

Os engenheiros estão reunidos no Convento São Francisco (CSF) para discutir os novos desafios que a transformação digital está a trazer ao setor e à sociedade. O presidente da Câmara Municipal de Coimbra (CMC), Manuel Machado, participou, ontem, na sessão de abertura do XXI Congresso Nacional da Ordem dos Engenheiros, que termina hoje. Presentes na sessão estiveram também o  secretário de Estado das Infraestruturas, Guilherme d'Oliveira Martins, o Bastonário da Ordem dos Engenheiros, Carlos Mineiro Aires, o presidente do Conselho Diretivo da Região Centro da Ordem dos Engenheiros, Armando Silva Afonso, e o Comissário Europeu da Investigação, Ciência e Inovação, Carlos Moedas, que proferiu a conferência inaugural do Congresso.

Manuel Machado começou por dar as boas-vindas a todos e manifestar o seu agradecimento pela escolha de Coimbra para acolher este Congresso no CSF, “um espaço antigo e novo, (…) que muito nos orgulha” por ser, também, “uma obra que espelha a relação muito próxima entre o nosso património histórico, notoriamente a arquitetura,  a engenharia e também a transformação tencnológica e digital que está aqui evidenciada”. O autarca saudou o Congresso, de seguida, pela escolha do tema «Engenharia e Transformação Digital» que classificou como “muito relevante nos dias de hoje, e cada vez mais, num futuro próximo”.

“Este é, definitivamente, o ano da Indústria 4.0, e estamos a assistir in loco à 4ª grande revolução industrial sobre a qual necessitamos, enquanto povo, enquanto país integrante de um Mundo globalizado, de refletir, discutir e acompanhar atentamente”, salientou Manuel Machado,  que saudou o Governo, representado pelo secretário de Estado das Infraestruturas, Guilherme d’Oliveira Martins, pelo lançamento da estratégia nacional para a Indústria 4.0, que considera “um projeto com visão inovadora que inclui um conjunto de medidas importantes com impacto em milhares de empresas a operar em Portugal”.

“Portugal, segundo o índice de economia e sociedade digital 2017 da Comissão Europeia, está acima da média da EU ao nível da competividade digital e cresceu a um ritmo mais rápido do que a média  dos EUA nos últimos anos”, destacou Manuel Machado, afirmando que “Coimbra também tem dado o seu importante contributo ao país”, no domínio das tecnologias da indústria 4.0. 

“No Instituto Pedro Nunes [IPN] temos várias empresas e serviços que competem com outras economias avançadas, europeias ou mundiais”, o que espelha a “qualidade dos nossos recurso e o nível de sofisticação das tecnologias presentes na nossa indústria", salientou Manuel Machado, que elencou alguns desses projetos, como a Feedzai, a Active Space Tecnologies e a Stratio, que têm, nalguns casos, “ajudado a autarquia a poupar dezenas de milhares de euros (…) sendo um bom exemplo das novas tecnologias ao serviço do público e do serviço público”. O IPN, segundo o presidente da Câmara, “ajuda Coimbra a estar no topo desta revolução industrial”.

O secretário de estado das Infraestruturas, Guilherme d'Oliveira Martins, afirmou que a transformação digital “colocará novos desafios ao nosso país, redesenhando a estrutura laboral, redefinindo as competências necessárias da população, transformando o tecido empresarial, trazendo novas empresas para o mercado e criará uma pressão enorme na transformação e modernização das industrias tradicionais”. 

Carlos Mineiro Aires, Bastonário da Ordem dos Engenheiros, realçou a importância do Congresso, “dedicado a uma mudança histórica, que já se iniciou, com a interveção da engenharia e dos engenheiros”, afirmando que “o país conta e continuará a contar sempre com a disponibilidade de todos os seus engenheiros”. No final da sua intervenção, Carlos Mineiro Alves, agradeceu o acolhimento do Município de Coimbra à Ordem dos Engenheiros.

Por seu turno, Armando Silva Afonso, presidente do Conselho Diretivo da Região Centro da Ordem dos Engenheiros, elogiou a Região Centro pela capacidade que tem de produzir novos engenheiros, devido aos “numerosos centros tecnológicos e institutos de investigação de execelência e de referência a nível nacional e internacional” de que dispõe.

Transformação Digital: Oportunidades e Desafios no Panorama Europeu

A conferência inaugrual do XXI Congresso Nacional da Ordem dos Engenheiros ficou a cargo do Comissário Europeu da Investigação, Ciência e Inovação, Carlos Moedas, que abordou várias questões relacionadas com o rumo que Europa deverá seguir, perante os desafios que se aproximam. “As tecnologias digitais estão a mudar a forma como as pessoas vivem, trabalham e comunicam, (…) e a União Europeia deve estar pronta para a transformação do mercado europeu e para explorar todos os novos bens e serviços daí resultantes”.

Segundo o Comissário Europeu, Portugal tem projetos altamente inspiradores, que devem ser divulgados para que “a perspetiva e atitude empreendedoras sejam cada vez mais naturais, fortalecendo o tecido empresarial português e, consequentemente, a nossa economia”.

O XXI Congresso Nacional da Ordem dos Engenheiros, que termina hoje, contará com a presença de diversas personalidades, entre as quais o Primeiro-ministro, António Costa.