Empresa quer construir hangar no Aeródromo Municipal Bissaya Barreto

O executivo da Câmara Municipal de Coimbra (CMC) aprovou, por unanimidade, na sua reunião de ontem, o projeto de arquitetura de um novo hangar no Aeródromo Municipal Bissaya Barreto (AMBB), pretensão apresentada por uma empresa privada. O futuro pavilhão de apoio aeronáutico obteve já uma decisão global favorável por parte da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro e uma declaração emitida pela Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra autorizando a empresa requerente a promover o licenciamento.

A nova infraestrutura apresentará uma área de construção de 1000 m2 com uma altura de 7,50m e uma superfície de pavimento associada com 1000 m2, valores que respeitam o Plano Diretor Municipal de Coimbra. Depois da aprovação do projeto na última reunião do executivo, a empresa promotora deverá apresentar, no prazo de seis meses, os projetos de especialidade, para efeitos de licenciamento.

 

Estudo para abrir Aeródromo Municipal Bissaya Barreto à aviação civil

O presidente da CMC, Manuel Machado, informou o executivo camarário que está a decorrer um estudo para averiguar as condições do AMBB para abrir futuramente à aviação civil. Este seria um plano B caso a base aérea de Monte Real não seja uma solução viável para trazer a aviação civil para a região centro do país, algo que seria possível através da ampliação da pista do AMBB. 

Recorde-se que, no passado sábado, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, aterrou pela primeira vez em Coimbra, no AMBB, a bordo de um EADS C-295M da Força Aérea Portuguesa, uma aeronave de grande envergadura. “É a primeira vez que aterro em Coimbra”, atestou o Chefe de Estado, que elogiou a infraestrutura. “A sensação é que é um aeródromo lindíssimo. Eu praticamente já aterrei em todos os aeródromos continentais, vários dos insulares, e o enquadramento deste aeródromo é lindíssimo. Muito alto, bem rodeado, tudo bom”, apreciou Marcelo Rebelo de Sousa, que acrescentou ainda: “É sempre bom aterrar em Coimbra, sobretudo para um professor universitário, porque é a alma mater da cultura e da academia em Portugal.”