CMC inicia obras de reabilitação no Centro Escolar de Almas de Freire

O presidente da Câmara Municipal de Coimbra (CMC), Manuel Machado, assinou, esta manhã, o auto de consignação da empreitada de "Reabilitação do Parque Escolar – Obras de Beneficiação - Ampliação do refeitório do Centro Escolar de Almas de Freire”. A obra ficará a cargo da empresa Ramalpombeiro Construções, Lda. e terá o custo de 91.402,22 euros (c/IVA). Com esta obra pretende-se ampliar o Refeitório/Sala Polivalente do Centro Escolar de Almas de Freire, de modo a que as quase 200 crianças que o frequentam tenham melhores condições para a sua utilização.

Depois de assinado o auto, Manuel Machado alertou para a “necessidade de compatibilizar o funcionamento normal da escola com a realização das obras”, deixando expressa a vontade de que o prazo de execução seja o mais curto possível. 

A empreitada de reabilitação do Centro Escolar de Almas de Freire, que arrancou hoje, vem melhorar as condições de vários espaços que, até agora, funcionam de forma precária, como o refeitório, a componente de apoio à família ou a sala polivalente, de receção e entrega de crianças, que, pela pequena dimensão, não dá resposta satisfatória às necessidades da Escola.

A solução que agora se apresenta recupera a estrutura do antigo recreio coberto, com uma ampliação que totaliza uma área de 100m2 que vai possibilitar a utilização do espaço ao almoço, com higiene e conforto e, ainda, com condições para a utilização da componente de apoio à família.

Este espaço vai ter uma ligação coberta com a Escola Primária, mediante uma pala em betão sobre pilares, na continuidade do telheiro existente. Uma outra solução, em estrutura metálica e policarbonato alveolar remata esta situação com a pala existente entre a Escola Primária e o Jardim de Infância.

Esta nova sala vai comunicar com o refeitório antigo através de uma porta de duas folhas e vai dar continuidade ao pavimento existente, eliminando o desnível para ficar à cota do interior.

Este espaço vai dispor de uma bancada com lavatórios, concretamente para a higienização dos funcionários que dão apoio às crianças nas horas das refeições.

A ligação com a copa vai ser também melhorada, na medida em que se entende como necessário separar mais corretamente o circuito da entrada de comida do da saída da louça suja. Para isso, propõe-se abrir uma porta de comunicação entre o refeitório e a cozinha, ficando a solução em guichet afeta em exclusividade à distribuição das refeições.

Prevê-se ainda a definição da banca de empratamento junto aos guichets e a substituição da banca de lava-louça, muito deteriorada, por uma outra em aço inox com lava-louça industrial.

Está ainda prevista a reformulação das infraestruturas existentes no pavimento confinantes com o atual refeitório. Os pavimentos exteriores vão ser genericamente mantidos em lajetas de betão, sendo os desníveis resolvidos com empenamentos e rampas, de forma a assegurar a acessibilidade a todas as áreas.

Estiveram igualmente presentes, nesta cerimónia, o vice-presidente da CMC, Carlos Cidade e o vereador da Educação, Jorge Alves.