Exposição “Histórias por Contar” recebe visitas de escolas e instituições

A exposição de ilustração e pintura de João Vaz de Carvalho, que se encontra patente no Convento São Francisco, tem recebido a visita de várias escolas e instituições, que já levaram mais de centena e meia de crianças e jovens à Galeria Pedro Olayo (filho). Ao todo, já mais de um milhar de pessoas visitaram esta exposição, que encerra ao público no próximo domingo, dia 8 de abril. Até lá pode ser visitada todos os dias entre as 15h00 e as 20h00, gratuitamente.

“Histórias por contar” é o título da exposição de ilustração e pintura de João Vaz de Carvalho que está patente, até dia 8 de abril, na Galeria Pedro Olayo (filho) do Convento São Francisco. Uma mostra que reúne um conjunto de trabalhos do reconhecido ilustrador português, realizados pontualmente entre 2009 e 2017, na sua maioria produzidos de forma independente e sem um tema predefinido. “Não preciso de um pretexto ou argumento para fazer os trabalhos. Esta exposição tem precisamente trabalhos produzidos dessa forma, pontualmente, entre outras exposições que fui realizando. São histórias minhas que fui fazendo ao longo do tempo e daí o título ‘Histórias por Contar’”, explicou o autor, no dia da abertura oficial da mostra, a 3 de março passado.

A exposição tem sido visitada por vários grupos, de crianças e adultos, de instituições e escolas da região. “Histórias por Contar” já recebeu a visita de utentes com necessidades educativas especiais da Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão com Deficiência Mental (APPACDM) de Coimbra e respetivos acompanhantes; de crianças e jovens da Previdência Portuguesa, da Escola Secundária Jaime Cortesão, do Jardim de Infância Almas de Freire, da Casa da Criança da Fundação Bissaya Barreto, do espaço educativo Pós de Perlimpimpim e da associação CADES. Estas visitas não se remetem apenas à visualização das obras, sendo também colocados desafios pela responsável do serviço educativo do Convento São Francisco.

A exposição “Histórias por contar” já foi visitada por cerca de um milhar de pessoas e está aberta ao público até ao dia 8 de abril, entre as 15h00 e as 20h00. A entrada é gratuita.