CMC celebrou dois autos de expropriação amigável de terrenos um dos quais destinado à II fase do iParque

O presidente da Câmara Municipal de Coimbra (CMC), Manuel Machado, assinou hoje, na Sala de Despacho Privado dos Paços do Município, dois autos de expropriação amigável de terrenos. Um dos autos refere-se ao prédio rústico, designado por Parcela 229, com uma área de 1918 m2, situado em Fonte da Caçoila, União de Freguesias de Assafarge e Antanhol, inscrito na matriz predial rústica com o artigo 1668 e é destinado à edificação do “Parque Tecnológico de Coimbra – 2.ª fase - Zona 2, conforme publicação em Diário da república n.º 58, II Série, de 22 de Março de 2013, e Aviso nº 4209/2013 da declaração de utilidade pública. 

Além do presidente da CMC, estiveram presentes na assinatura deste auto Augusto Maria Firmo David Mendes, Ana Maria David Mano Mendes, Lúcia Emanuel David Mano Mendes, Joana Gabriela David Mano Mendes, Pedro André David Mano Mendes, Maria do Carmo David Mano Mendes e Fernando António Carvalho Silvestre. A expropriação amigável do mencionado terreno realizou-se mediante o pagamento, pelo município de Coimbra aos segundos outorgantes, de 7919,40 euros.

A assinatura de um segundo auto reporta ao prédio rústico designado por Parcela 39, com uma área de 1797 m2, situado na Quinta da Fonte da Telha, São Romão, Freguesia de Santo António dos Olivais, inscrito na matriz predial rústica com o artigo 2648, destinado à construção da “Circular Externa – 3.º Troço, com início ao Km 1+525”, conforme publicação em Diário da república n.º 56, II Série, de 7 de Março de 2002. 

Armando Ferrão Melo e Leonor da Anunciação Campos Melo, ex-proprietários da citada parcela, estiveram presentes no ato, na qualidade de, respetivamente, segundo e terceiro outorgantes. O Município de Coimbra acordou amigavelmente concretizar a expropriação, pelo valor de 17.926,80 euros. O montante já foi liquidado em 2002, mas o auto de expropriação amigável não foi então assinado, pelo que agora tudo ficou devidamente formalizado.