(In)citação de 28 fevereiro

A ideia de viajar seduz-me por translação, como se fosse a ideia própria para seduzir alguém que eu não fosse. Toda a vasta visibilidade do mundo me percorre, num movimento de tédio colorido, a imaginação acordada (...). E como as viagens as leituras, e como as leituras tudo... Sonho uma vida erudita, entre convívio mudo dos antigos e dos modernos (...). Mas só a ideia de ler se me desvanece se tomo de cima da mesa um livro qualquer; o facto físico de ter que ler anula-me a leitura... Do mesmo modo que se me estiola a ideia de viajar se acaso me aproximo de onde possa haver embarque.

 

Bernardo Soares

In Livro do desassossego, trecho 265

  

[excerto selecionado por: Biblioteca Municipal de Coimbra]