Câmara integra candidatura europeia para promoção da saúde e qualidade de vida da população

O Município de Coimbra integra uma candidatura europeia, liderada pelo Município de Utrecht e pelo Instituto Nacional de Saúde Pública e Ambiente (RIVM) holandês, ao programa europeu Horizonte 2020, a convite da Universidade de Coimbra (UC). A candidatura intitula-se URBAN-GLOW “Urban Green Living Opportunities to Improve Health and Wellbeing” e tem como objetivo geral o aumento da resiliência ambiental e social das cidades, através do desenvolvimento de soluções urbanas baseadas na natureza (integrando inovação digital, social e cultural), com o objetivo de promover a qualidade de vida e saúde da população.

O convite foi endereçado ao município pela UC, que igualmente integra a candidatura liderada por Utrecht e pelo RIVM. Uma candidatura que envolve cinco cidades europeias – Utrecht (Holanda), Valência (Espanha), Varsóvia (Polónia), Haifa (Israel) e Coimbra (Portugal) – onde serão implementados projetos de demonstração de soluções urbanas inovadoras. Esses projetos são desenvolvidos, obrigatoriamente, em parceria e estreita colaboração entre a universidade e o governo local de cada cidade.

A candidatura enquadra-se no Desafio Societal 5 – Alterações, Ação Climática, Ambiente, Eficiência de Recursos e Matérias Primas no programa europeu Horizonte 2020. As propostas que forem selecionadas nesta primeira fase do programa passam, então, à segunda fase (que decorrerá entre maio e setembro de 2019) e as vencedoras deverão ser conhecidas no final do ano. As propostas vencedoras serão financiadas a 100% pelo FEDER, através do programa Horizonte 2020, com um montante que rondará os 11 milhões de euros e a sua execução decorrerá entre 2020 e 2024. Estima-se que caberá ao Município de Coimbra um valor até 400 mil euros.

O objetivo da URBAN-GLOW passa por desenvolver soluções urbanas que promovam a qualidade de vida e a saúde das populações. Pretende-se, pois, com os diferentes projetos de demonstração nas cidades parceiras, testar soluções de transformação do espaço público que assentem nos princípios da sustentabilidade, resiliência, diversidade, multifuncionalidade, equidade, participação e inclusão social, em linha com os fundamentos da ecologia urbana. Esta é, pois, uma oportunidade de investimento europeu para implementar soluções inovadoras em Coimbra, que permitirá promover a investigação em áreas como a saúde urbana e o bem-estar, o planeamento urbano saudável, as políticas de redução da exposição aos riscos climáticos e poluição e a prevenção de efeitos negativos da gentrificação e exclusão social.

A candidatura na cidade de Coimbra é liderada pela UC, através do Centro de Estudos em Geografia e Ordenamento do Território e do Departamento de Arquitetura, em parceria com a CM Coimbra e a Cáritas Diocesana. “O modelo de demonstração a implementar (…) tem como pressuposto a transformação de um bairro histórico num espaço urbano sustentável, como mobilidade de baixa emissão de carbono, centrado nas pessoas, baseado na natureza, amigo dos peões, multifuncional, inclusivo, criativo e seguro”, lê-se na informação que vai à reunião do executivo municipal, que acrescenta ainda que o objetivo é que seja “um Urban Living Lab que impulsionará a co-inovação, envolvendo cidadãos na construção desses lugares e testando diferentes soluções de promoção de vida urbana saudável”.

A zona escolhida foi a Baixa de Coimbra, mais concretamente a zona da Via Central, onde atualmente se encontra em curso um projeto de requalificação desta zona urbana, com claros benefícios para a população local, para a cidade e para a região.