Farmacovigilância em Oncologia debatida em Coimbra

A Conferência de Farmacovigilância em Oncologia (Pharm+V), realizada no âmbito do projeto europeu ONCONET SUDOE - Rede Europeia de Cooperação em Oncologia, está a decorrer desde ontem em Coimbra e reúne mais de 200 especialistas de diversos setores no Convento São Francisco. A vereadora da Saúde da Câmara Municipal (CM) de Coimbra, Regina Bento, participou, ontem à tarde, na sessão de abertura do evento. A autarca deu as boas-vindas aos presentes, falou da criação do pelouro da Saúde no Município de Coimbra e da importância de priorizar esta área de atuação, elogiou os avançou realizados no âmbito da farmacovigilância em Oncologia e a entrega e dedicação de todos os que operam nesta área de intervenção.

“A promoção da Saúde e da qualidade de vida dos cidadãos é, cada vez mais, uma prioridade na agenda dos decisores políticos locais. A criação do pelouro da Saúde no Município de Coimbra, uma decisão tomada no início deste mandato e um desafio que tive o prazer de aceitar, espelha isso mesmo. Queremos priorizar esta área de intervenção municipal, pelo impacto que tem na vida dos cidadãos”, afirmou Regina Bento, deixando claro que esta é uma aposta do Município de Coimbra, que em breve deverá também assumir novas competências nesta área. “A Saúde deve e tem de ser uma prioridade de todos”, acrescentou, destacando também o facto de esta ser “uma marca da nossa cidade”, pela reputação dos seus hospitais, a qualidade das suas estruturas físicas e humanas e a excelência dos seus centros de investigação médica.

Razões suficientes para a vereadora da Saúde da CM Coimbra considerar “um privilégio acrescido” acolher iniciativas como esta. “É um gosto ver Coimbra a ser o palco principal de importantes eventos da área da Saúde e faz todo o sentido que assim seja. Hoje, Coimbra é da Farmacovigilância em Oncologia e (…) a importância deste debate é imensurável”, considerou Regina Bento, elogiando os passos que já foram dados neste campo – como, por exemplo, o aumento das notificações sobre reações adversas ao medicamento –, mas referindo também o facto de ser na Oncologia que se registam as reações adversas mais agressivas. “Isso mostra-nos que, infelizmente, ainda há muitos passos para dar e que o vosso empenho e dedicação mais do que merecem o nosso louvor, em nome dos doentes oncológicos e da Saúde Pública”, concluiu a autarca.

A sessão de abertura da Conferência de Farmacovigilância em Oncologia (Pharm+V) contou ainda com a participação de André Dias Pereira, da ONCONET SUDOE, Fátima Canedo, do Infarmed, Isabel Caneiro, da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra, e Mário Ruivo, da Administração Regional de Saúde do Centro. A conferência, que reúne os melhores especialistas europeus da área da farmacovigilância em Oncologia, prossegue hoje, com mais dois painéis de debate. A programação do evento e outras informações podem ser consultadas em http://www.pharmplusv.com/.