CM Coimbra avança com nova via que ligará a Fernão de Magalhães à Padre Estevão Cabral

No penúltimo dia de uma semana dedicada à mobilidade, o presidente da Câmara Municipal (CM) de Coimbra, Manuel Machado, assinou, esta manhã, o auto de consignação da empreitada Interface Intermodal Coimbra Norte. A obra fica a cargo da empresa Delfim de Jesus Martins & Irmão, Lda. e representa um investimento de 518 mil euros para permitir a circulação direta entre a Av.ª Fernão de Magalhães e a Rua Padre Estevão Cabral sem passar pelo nó da Casa do Sal.

Manuel Machado começou por salientar que a obra hoje consignada “irá criar uma via de comunicação paralela à Fernão de Magalhães”, o que irá permitir um melhoramento da mobilidade “em especial numa zona que já se encontra muito saturada, a Casa do Sal”.

Segundo o autarca, esta intervenção irá melhorar substancialmente a mobilidade pedonal e dos transportes públicos. O “o ordenamento urbanístico junto ao terminal de autocarros” também está previsto no projeto, alinhando a fachada da “rodoviária” com os edifícios envolventes.

Esta intervenção está integrada no Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU) de Coimbra e visa ligar a Av.ª Fernão de Magalhães, junto aos parques de estacionamento, à Rua Padre Estevão Cabral, através da abertura de um arruamento paralelo à linha de caminho-de-ferro que permita a circulação direta entre estas vias. Será também reformulado o acesso que liga a Av.ª Fernão de Magalhães à Av.ª Marginal, sob a linha de caminho-de-ferro. 

O investimento global desta empreitada é de 517.273,70 euros (c/ IVA) e irá criar um arruamento com uma extensão de 200m, uma faixa de rodagem de 6m, faixa de estacionamento com 2m e passeios de largura variável. 

Para viabilizar este perfil do traçado será necessário prolongar o túnel existente sob a linha de caminho-de-ferro, através de elementos pré-fabricados de betão armado. A segurança da circulação pedonal no túnel será garantida em toda a sua extensão com a construção de um passeio com 1,20m de largura.

O projeto contempla, ainda, trabalhos de drenagem das águas pluviais do novo arruamento. Relativamente ao túnel, que apresenta problemas de drenagem pluvial conhecidos, será aplicada uma solução que irá melhorar substancialmente a drenagem pluvial do local, evitando a acumulação de águas.

Na delimitação da zona da estrada com a linha de caminho-de-ferro e com o terreno da “rodoviária” serão construídos muros de suporte e muros de vedação em betão armado, revestidos a lajetas e capeados superiormente com pavê vermelho. Os muros serão encimados com rede de vedação com 1,50m.

Esta é a última de três empreitadas de requalificação do espaço público que a CM Coimbra consignou durante esta semana, inserida no programa oficial da Semana Europeia da Mobilidade, num investimento global superior a dois milhões de euros.