Captação de investimento debatido com empresas esta manhã

O vice-presidente da Câmara Municipal (CM) de Coimbra, Carlos Cidade, esteve presente, esta manhã, num encontro com empresas, promovido pelo BPI. A captação de investimento e as características únicas do concelho e da região, os apoios da CM Coimbra aos investidores e os benefícios da reabilitação urbana foram algumas das questões abordadas no evento.

“Coimbra tem-se tornado uma cidade cada vez mais adequada e mais preparada para impulsionar a inovação - e o exemplo dado anteriormente [intervenção de Gonçalo Quadros, da Critical Software] é prova evidente que nos orgulha - o empreendedorismo e a capacidade competitiva a nível global das empresas que se formam neste contexto”, começou por salientar Carlos Cidade.

Para o autarca, “é evidente que a nossa Universidade, o Instituto Pedro Nunes e o Instituto Politécnico têm um papel naturalmente relevante na qualidade do ensino, na investigação, na vocação empreendedora da sua gestão e fazem de Coimbra um cluster com potencial raro para fazer nascer empresas com grande capacidade de inovação tecnológica, com um registo ímpar, como é o exemplo, da incubadora do Instituto Pedro Nunes, uma referência mundial”, frisou.

“Existem aqui empresários com a experiência própria daquilo que têm sabido fazer, tendo o parceiro certo relativamente aos desafios que se colocam, que é a Câmara Municipal de Coimbra”, sublinhou Cidade, salientando que neste momento existem grandes grupos empresariais, ambientalmente sustentáveis, que querem investir em Coimbra, dando como exemplo uma empresa que poderá criar entre 300 a 400 postos de trabalho altamente qualificados no concelho.

O vice-presidente da autarquia enunciou, também, os apoios disponíveis pelo Município para as empresas, através do Coimbra Investe – Regulamento de Apoio a Iniciativas Económicas de Interesse Municipal e os benefícios fiscais que poderão usufruir ao apostar em reabilitações urbanas.

Carlos Cidade evidenciou que existem “novos loteamentos e novos empreendimentos a desenvolverem-se e, naturalmente, a reabilitação urbana acontece, também graças ao aumento dos fluxos turísticos”, referindo como um grande exemplo o investimento efetuado na Baixa pela Critical Sofware, "entre outros empreendimentos que irão alterar o figurino dessa zona”.

O autarca destacou ainda a abertura do centro de espetáculos e congressos do Convento São Francisco, o que levou a cidade a subir 155 lugares no ranking da realização de congressos internacionais, que é liderado por cidades como Paris, Barcelona e Londres.

No final da sua intervenção, Carlos Cidade alertou para a necessidade de se definir a ligação entre Coimbra e Viseu, o Sistema de Mobilidade do Mondego e a ligação da A13 ao nó do Botão para o IP3, concluindo que a Região de Coimbra terá, também, de dar um contributo para ajudar o país na resolução do problema da insuficiências das infraestruturas aeroportuárias. “Portugal precisa e a nossa região merece”, concluiu.