“Aldeia Segura, Pessoas Seguras” implementado nas Torres do Mondego para prevenção de incêndios

O programa “Aldeia Segura, Pessoas Seguras” esteve na agenda do encontro entre o presidente da Câmara Municipal (CM) de Coimbra, Manuel Machado, e os presidentes das Juntas e Uniões de Freguesias do concelho, que decorreu ontem à tarde, na Sala de Sessões dos Paços do Município. A freguesia de Torres do Mondego é considerada de 1ª prioridade no âmbito destes programas, que procuram garantir uma maior proteção das aldeias em caso de incêndio, através da implementação da figura de um oficial de segurança, para transmitir avisos à população, organizar evacuações e realizar ações de sensibilização sobre incêndios.

Torres do Mondego foi definida, pelas suas caraterísticas, como prioritária para a implementação do programas governamental “Aldeia Segura, Pessoas Seguras”, promovidos pela Associação Nacional de Proteção Civil, Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP) e Associação Nacional de Freguesias. Como tal, a Câmara Municipal de Coimbra, através do Serviço Municipal de Proteção Civil de Coimbra, liderado por Ana Matias, já se encontra no terreno a identificar os aglomerados de maior risco, o tipo de população existente, bem como os locais de maior segurança e possíveis abrigos em caso de incêndio e de impossibilidade de evacuação.

Os programas englobam ações de sensibilização junto das populações, entrega de kits de emergência (compostos por, entre outro material, uma lanterna, um rádio e uma gola antifogo), e disponibilização de um guia e folhetos com indicações sobre o que fazer em caso de incêndio e medidas de autoproteção.

Estes programas foram criados na sequência dos incêndios sem precedentes que ocorreram no verão do ano passado e pretendem incentivar a consciência coletiva de que a proteção é uma responsabilidade de todos, apoiar o poder local na promoção da segurança, implementar estratégias de proteção das localidades face a incêndios rurais e sensibilizar as populações para a adoção de práticas que minimizem o risco de incêndio.

“Todos temos que trabalhar nesta área e por isso pedimos a vossa colaboração”, apelou, ontem à tarde, Ana Matias, na reunião com os presidentes de Juntas e Uniões de Freguesias do concelho. “Esperamos que não seja necessário ativar nenhum mecanismo de emergência, mas é importante que estejamos preparados para que tudo corra bem”, reforçou o presidente da CM Coimbra e também da ANMP, Manuel Machado.

As freguesias de Ceira, Cernache, Assafarge, Antanhol, Souselas e Botão foram definidas como sendo de 2ª prioridade no concelho de Coimbra, de acordo com o despacho n. 1913/2018. Os programas abrangem 189 municípios, que agrupam um total de 1091 freguesias de risco de incêndio, e estabelecem a definição de locais de refúgio nas aldeias e a sensibilização das populações para as medidas a tomar em caso de incêndio.