Moradores reuniram para debater a Alta de Coimbra

Os moradores e amigos da Alta de Coimbra reuniram, na noite de sexta-feira, no Ateneu de Coimbra, para debater as problemáticas de quem reside naquela zona da cidade, numa iniciativa promovida pela Associação para o Desenvolvimento e Defesa da Alta de Coimbra (ADDAC).

Um encontro que contou com a presença, entre outros, do vereador da Câmara Municipal de Coimbra (CMC), Carlos Cidade, que começou por afirmar que “as cidades de hoje, e os seus centros históricos, têm de ser geridas com muita atenção”. Segundo Carlos Cidade, a delimitação da zona denominada Património Mundial da Unesco “impõe diversas obrigações, à autarquia, Universidade de Coimbra, moradores e seus visitantes”.

O autarca salientou que a CMC tem vindo a planear intervenções no centro histórico, como os melhoramentos das ruas dos Coutinhos, do Colégio Novo, da Fonte, Joaquim António Aguiar, da Ilha, Guilherme Moreira, José Falcão, Travessa da Trindade, Beco da Pedreira e Largo Hilário. Estes projetos estão aprovados e “inseridos em fundos comunitários, para remodelar e preservar esta zona” e que visam, também, melhorar as condições de habitabilidade dos moradores, destacou o vice-presidente da Câmara. 

“O papel do estado é criar condições para que as pessoas invistam nos centros históricos”, e “nós temos consciência de que esse é o caminho”, concluiu o autarca.