CMC apoia realização do Encontro Internacional de Cafés Históricos da Europa em Coimbra

O executivo da Câmara Municipal de Coimbra (CMC) aprovou, na sua reunião de ontem, uma proposta para atribuição de um apoio financeiro pontual, de mil euros, à Associação dos Cafés com História para a realização do Encontro Internacional dos Cafés Históricos da Europa, nos dias 20 e 21 de abril, em Coimbra. Um evento que inclui conferências, tertúlias, reuniões de trabalho, visitas guiadas à Baixa, à Universidade de Coimbra (UC) e ao Museu Nacional Machado de Castro, sessões de fado, degustações, almoços e jantares e que é a primeira grande iniciativa conjunta da Associação dos Cafés com História de Portugal e da European Historic Cafés Association (EHICA).

A CMC vai apoiar a realização do Encontro Internacional dos Cafés Históricos da Europa, que vai decorrer em Coimbra, nos dias 20 e 21 de abril. Um evento promovido pela EHICA e pela Associação dos Cafés com História, esta última com sede em Coimbra, no café Santa Cruz, e cuja atividade se centra no “estudo, defesa, conservação e divulgação do património material e imaterial resultante da história dos referidos estabelecimentos”, lê-se na informação que foi analisada, ontem, na reunião de Câmara. Esta é, mesmo, a primeira grande iniciativa conjunta da Associação dos Cafés com História e da EHICA.

A parceria da autarquia na realização do evento passa, então, pela atribuição de um montante, no valor de mil euros, à Associação dos Cafés com História e pela cedência do espaço da Casa da Escrita para a sessão solene de abertura do evento, coffee breaks e workshops nos dias 20 e 21 de abril. Está já confirmada a presença do ministro da Cultura da Grécia, Georgios Vassiliadis, e do presidente da EHICA, Vasilis Stathakis, no evento.

“Este projeto pretende espelhar a estratégia de fomento cultural e artístico da cidade de Coimbra, valorizando-a e promovendo-a igualmente, não só como percursora da iniciativa, tanto a nível nacional e europeu, mas também pela relevância da sua participação”, pode ainda ler-se na informação, que refere também que esta iniciativa “pode ter reflexos imediatos ao nível da promoção turística”, sendo o apoio da autarquia também uma forma afirmar o reconhecimento da associação “na promoção da cultura e bem-estar da população residente e visitantes”.

Recorde-se que o executivo camarário aprovou, na sua reunião de 5 de março, um processo mais ágil para reconhecimento e proteção de estabelecimentos e entidades de interesse histórico e cultural ou social local, de acordo com a lei n.º 42/2017, entre eles as repúblicas de estudantes de Coimbra, os solares ou as lojas com história.