Troleicarros voltam a circular no início de maio

O presidente da Câmara Municipal de Coimbra (CMC), Manuel Machado, informou, no decorrer da reunião do executivo camarário, que o processo de restauro dos troleicarros e da rede de tração elétrica está numa fase final e que estes voltarão a circular nas linhas habituais. O presidente do Conselho de Administração dos Serviços Municipalizados de Transportes Urbanos de Coimbra (SMTUC), Jorge Alves, acrescentou que o processo terminará em finais de abril, pelo que no início de maio os troleicarros voltam a circular pela cidade.

O processo de restauro dos troleicarros e da rede de tração elétrica foi iniciado em novembro, depois de detetada essa necessidade para garantir a total funcionalidade e segurança do serviço e está agora numa fase final.

A necessidade de intervenção em alguns postes da rede de tração elétrica foi detetada após um levantamento efetuado pelos SMTUC e de uma análise mais detalhada realizada pelo Instituto de Soldadura e Qualidade (ISQ). Nesse âmbito, concluiu-se que os trinta postes teriam de ser substituídos para garantir a total funcionalidade do serviço e a segurança do mesmo.

Este é mais um investimento do Município na rede de transportes públicos, que, recorde-se, investe cerca de 9 milhões de euros anuais para assegurar o custo social dos transportes, permitindo, assim, que o valor que os utentes pagam se mantenha inferior ao custo real das viagens.

Destes 9 milhões de euros, cerca de 80% tem origem nas subvenções mensais que a Câmara Municipal de Coimbra transfere para os SMTUC, sendo o restante oriundo da receita dos parques de estacionamento na via pública.

O executivo da CMC tem vindo a apostar na renovação da frota dos SMTUC, desde o mandato 2013-2017, que se traduziu num reforço de 30 veículos durante esse período, o que corresponde a um investimento municipal de 3,3 milhões de euros. A lista de aquisições inclui 10 autocarros novos, 10 autocarros usados, 2 miniautocarros híbridos, 1 viatura de transporte de pessoas com mobilidade reduzida e 7 miniautocarros. Um esforço que permite apresentar atualmente uma frota dos SMTUC composta por 141 autocarros com uma média de idades de 13 anos.

A renovação gradual da frota que a CMC tem promovido é fundamental para a redução dos custos associados à manutenção e exploração, diminuindo as despesas gerais dos SMTUC. Nesse sentido, a CMC tem trabalhado em parceria com a Stratio Automotive, empresa sediada na aceleradora do Instituto Pedro Nunes (IPN) desde 2016. Este é um projeto que teve Coimbra como primeira experiência e que se está a alastrar pelo resto da Europa.

A Stratio Automotive analisa e prevê a ocorrência, em tempo real, de problemas e desgastes mecânicos em mais de 50 autocarros dos SMTUC, proporcionando assim a resolução desses problemas, muito antes de se tornarem em avarias graves. Segundo uma análise de seis meses, esta tecnologia permitiu que se alcançasse uma redução de 43 mil euros em manutenção de parte da frota dos SMTUC, perfazendo menos 350 horas no tempo de imobilização dos autocarros devido à antecipação das avarias, um decréscimo de 8% nos consumos de combustíveis e uma diminuição de 93 toneladas de emissões de gases poluentes.