Camané cantou Alfredo Marceneiro e encantou Coimbra

Camané cantou e encantou, ontem à noite, no grande auditório do Convento São Francisco (CSF), em Coimbra, num concerto de homenagem àquele que é a sua grande referência do fado, Alfredo Marceneiro. “A Casa da Mariquinhas” e “Lucinda Camareira” foram dois dos temas interpretados por Camané, que fizeram o público vibrar e aplaudir com entusiasmo. Um concerto que homenageou um dos maiores fadistas de sempre e que surge na sequência do disco que Camané editou, em outubro do ano passado, exclusivamente dedicado a Alfredo Marceneiro.

O fado esteve sempre presente na vida de Camané. O bisavô cantava, o avô também, os pais levavam-no, desde miúdo, às casas de fado lisboetas e Camané começou a cantar desde muito cedo. Sempre gostou de fado tradicional, de Marceneiro, que sempre foi uma das suas referências. Foi quando ouviu Bob Dylan cantar Frank Sinatra que surgiu a ideia de gravar um disco inteiramente dedicado a Marceneiro e, em outubro do ano passado, o disco saiu com o nome “Camané canta Marceneiro”.

O concerto de ontem foi, precisamente, inspirado nesse disco e na homenagem que Camané tem prestado ao seu fadista de eleição. Camané cantou a “Casa da Mariquinhas”, “Lucinda Camareira”, “Lembro-me de ti” e outras mais, ao seu jeito, com a garra e a alma que lhe é característica, mas sempre com a presença de Marceneiro. Um concerto memorável, dedicado ao fado tradicional, que agradou todos os que ontem estiveram no grande auditório do CSF para ouvir uma das vozes mais emblemáticas da nova geração de fadistas.