Coimbra volta a participar no programa Eco-Escolas

A Câmara Municipal de Coimbra (CMC) vai aderir, mais um ano, ao projeto Eco-Escolas, um programa internacional da Foundation for Environmental Education, que é coordenado em Portugal pela Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE), e que pretende encorajar e reconhecer o trabalho desenvolvido pelas escolas no âmbito da educação ambiental para a sustentabilidade. A assinatura da parceria com a ABAE, para a edição 2017/2018, e a emissão das Declarações do Município de Compromisso com o Programa Eco-Escolas foram aprovados, por unanimidade, na reunião do executivo municipal de ontem.

O grande objetivo do programa Eco-Escolas é garantir a participação das crianças e jovens na construção de uma escola e de uma comunidade mais amigas do ambiente e mais sustentáveis. É materializado através de um conjunto de iniciativas que são disponibilizadas às escolas inscritas, sob a forma de projetos, desafios, concursos, e que se regem por temas obrigatórios. Os resíduos, a água e a energia são temas que têm continuidade ao longo dos anos. Já para este ano letivo específico os temas a abordar são a geodiversidade, os espaços exteriores, a floresta e a alimentação saudável e sustentável.

A ABAE garante o apoio, a formação, o acompanhamento, a monitorização e a avaliação do programa Eco-Escolas, através de uma Comissão Nacional, da Comissão Eco-Escolas e das Câmaras Municipais onde se localizam as escolas inscritas. Para isso, é necessário que o município celebre, anualmente, o acordo de parceria com a ABAE e entregue a Declaração do Município de Compromisso com o Programa Eco-Escolas referente a cada estabelecimento de ensino que queira participar.

A CMC reconhece o valor educativo do programa e tem aderido às suas diversas edições. Um programa que tem tido um “balanço claramente positivo, com 20 inscrições e atribuição de 20 bandeiras verdes”, lê-se na informação. Atualmente, para este ano letivo, há já seis escolas interessadas, mas “por analogia com os anos anteriores, prevê-se que haja uma adesão ao programa de 20 escolas”, lê-se na informação.

A confirmar-se a adesão dos 20 estabelecimentos de ensino, a autarquia terá um custo com as inscrições no valor global de 1400 euros.