Convento São Francisco acolhe Conferência Internacional de Saúde Urbana

O presidente da Câmara Municipal de Coimbra (CMC), Manuel Machado, participou, esta tarde, na sessão de abertura da 14.ª, que decorre pela primeira vez em Coimbra e em Portugal, no Convento São Francisco (CSF). A sessão contou também com a presença do Ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, do reitor da Universidade de Coimbra (UC), João Gabriel Silva, e da investigadora na área da geografia da saúde na UC e responsável pela organização da conferência, Paula Santana.

Uma importante conferência internacional, que conta com 650 inscritos, de aproximadamente 80 países, e “figuras de destaque” do setor, entre investigadores e decisores políticos. Durante quatro dias, Coimbra será o centro mundial da saúde urbana, onde se irão debater metodologias e novas tecnologias que viabilizem melhores condições de saúde para as populações.

Depois de dar as boas vindas ao CSF, aos conferencistas, Manuel Machado afirmou, perante a plateia do grande auditório, que é um orgulho, para Coimbra, acolher esta 14ª Conferência Internacional de Saúde Urbana. “É para nós um enorme gosto, em partilharmos com a nossa Universidade de Coimbra, a realização, na nossa cidade, desta conferência sobre saúde urbana.”

“Todos são bem-vindos aqui, em especial, quando celebramos, em Portugal, o 38.º aniversário do Serviço Nacional de Saúde, uma das importantes realizações da democracia” no país, salientou o autarca, destacando o trabalho de “António Arnaut, Mário Mendes, Miller Guerra, e tantos outros”.

Segundo Manuel Machado, “o Serviço Nacional de Saúde tem contribuído para a melhoria da saúde urbana, no sentido técnico e no sentido humanista, como nós o entendemos”, acrescentando que é graças a isso que Coimbra é “uma cidade que se afirmou ao longo do tempo (…) como cidade da saúde”, devido também “à cooperação ativa, ao profissionalismo e à qualidade técnica dos nossos médicos, enfermeiros e outros profissionais da saúde”.

Para o autarca, esta afirmação de Coimbra também se deve aos serviços municipais, “que levam a água potável, para consumo humano, a casa das pessoas”, e aos trabalhadores municipais “que conduzem os transportes públicos”. Em conjunto, todos contribuem para a melhoria da saúde urbana.

“Naturalmente sabem que não vivemos num mundo perfeito, nem numa cidade perfeita, mas tendo consciência disso, o nosso trabalho, o vosso trabalho, o contributo da reflexão que aqui vão ter nesta importante conferência, que acolhemos com gosto, será certamente conclusivo, útil e importante para melhorar a saúde da nossa cidade e das vossas cidades”, sublinhou Manuel Machado.

A 14.ª Conferência Internacional de Saúde Urbana, o maior evento mundial sobre a temática, já se realizou em cidades como Dhaka (Bangladesh), São Francisco (EUA), Machester (Reino Unido) ou Belo Horizonte (Brasil). A atual edição é coorganizada pela Sociedade Internacional de Saúde Urbana, Universidade de Coimbra, Câmara Municipal de Coimbra e Elsevier (a maior editora de literatura médica e científica do mundo).

Até ao próximo dia 29 de setembro vão ser abordados temas no âmbito da governança urbana, envelhecimento da população, planeamento urbano saudável, riscos sociais e ambientais e acesso a cuidados de saúde em áreas urbanas.