Teatro Sousa Bastos proposto para caso de estudo no âmbito Programa Millennium de Bolsas de Investigação “Cidade e Arquitetura”

O caso de estudo previsto no âmbito da participação da Câmara Municipal de Coimbra (CMC) na 3.ª edição do Programa Millennium de Bolsas de Investigação “Cidade e Arquitetura”, promovido pela Fundação Juventude, deverá incidir no espaço cedido para sala polivalente de atividades culturais no antigo Teatro Sousa Bastos. Uma proposta efetuada pela CMC, a pedido da Fundação Juventude, que foi ontem aprovada, por unanimidade, na reunião do executivo camarário.

A proposta surge no âmbito da parceria celebrada entre a Fundação Juventude e a CMC, com vista à participação do Município na 3.ª edição do Programa Millennium de Bolsas de Investigação “Cidade e Arquitetura”. Uma iniciativa que visa a realização de trabalhos de investigação que permitam um conhecimento aprofundado sobre o modo como o património arquitetónico do século XX marcou ou “fez cidade” em Portugal, sendo que, nesta edição do programa, a pedido de vários municípios, o arco temporal foi alargado, tendo ficado balizado entre 1910 e 2000.

Tendo em conta as características particulares de cada cidade e de forma a que os trabalhos de investigação “possam trazer contributos mais válidos e úteis para o desenvolvimento cultural, social, ambiental e/ou económico”, dos diferentes municípios que integram o projeto, a Fundação Juventude propôs que cada município participante definisse “a(s) área(s) específica(s) de estudo que pretenda ver consagrada(s) na atribuição da sua bolsa de investigação”, lê-se na informação. A proposta da CMC é, pois, que esse trabalho incida sobre o espaço cedido para sala polivalente de atividades culturais no antigo Teatro Sousa Bastos.

A participação da CMC neste programa é efetuada através de financiamento de uma bolsa para o projeto vir a ser desenvolvido na cidade, no valor de 2250 euros; comparticipação nos custos de seleção e consultadoria do programa, no valor de 1250 euros; autorização de acesso ao arquivo da CMC por parte dos jovens bolseiros, para além da disponibilização de elementos escritos, fotográficos, e outros disponíveis sem custos.

O Programa Millennium de Bolsas de Investigação “Cidade e Arquitetura” tem como objetivo incentivar os jovens licenciados para uma carreira profissional ligada à investigação e estimular a curiosidade pelo Património Arquitetónico e Cultural das cidades de grande e média dimensão, em estreita articulação com as autarquias dos territórios que forem selecionados, das regiões Norte, Centro e Sul, pela sua riqueza endógena ao nível do edificado.

O Orçamento Geral deste programa prevê a atribuição de 20 bolsas, no valor de 2250 euros cada, com exposições itinerantes em cada município parceiro e a publicação de 20 trabalhos de investigação, ascendendo aos 90 mil euros.