Concurso público da “Casa das Talhas” prevê habitação, espaço museológico e estabelecimento de restauração

O executivo da Câmara Municipal de Coimbra (CMC) aprovou, por unanimidade, na reunião de ontem, a abertura do concurso público da empreitada de “Reconstrução e Construção de Edifício ‘Casa das Talhas’ Rua Fernandes Tomás, n.º 58 a 66”, inserida no Programa Reabilitar para Arrendar. O concurso apresenta um preço base de 779.100 euros (c/IVA) e um prazo de execução de 270 dias.

O objetivo é dotar a “Casa das Talhas” de habitações nos 1.º e 2º andares (três T3 e um T2 com configuração duplex), um estabelecimento de restauração e bebidas no rés-do-chão e uma galeria/espaço museológico na cave e subcave. As habitações apresentam todas tamanhos distintos: T2 com 125,42 m2, e os T3 a oscilarem entre os 152,38 m2 e os 192,69 m2, passado por 163,01 m2.

Já o espaço museológico e o estabelecimento de restauração e bebidas praticamente coincidem: 280,25 m2 para o primeiro e 279,33 m2 para o segundo. No essencial, a estrutura de madeira dos pavimentos dos pisos será mantida, restaurada e reforçada.

Ao longo de vários anos de estudos, este imóvel viria a revelar um inesperado conjunto de importantes achados arqueológicos. No edifício, construído sobre a muralha da cidade, foi identificada parte da Muralha, uma Torre pré-islâmica e uma quantidade significativa de talhas antigas encastradas num aparelho de alvenaria - 40 na subcave, uma na cave e uma no rés-do-chão – que está na origem da denominação “Casa das Talhas”. Parte da Torre assenta sobre uma estrutura com revestimento em opus signinum  (hidráulico) que aponta para a época romana.

Este edifício sofreu amplas remodelações ao longo dos séculos, destacando-se os vestígios arquitetónicos quinhentistas, a calçadinha de vidraço aplicada com motivos geométricos e pinturas murais ao nível do rés-do-chão e painéis azulejares do século XVII ao nível do rés-do-chão e 1º andar.