DE COIMBRA PARA O MUNDO | doDOC, gestão documental à escala mundial

A doDOC é uma startup dedicada à gestão documental, especializada em soluções empresariais que permitam a automatização de todos os passos da formatação do conteúdo dos documentos. Uma empresa instalada na incubadora do Instituto Pedro Nunes (IPN), que foi visitada, no final do passado mês de julho, pelo presidente da Câmara Municipal de Coimbra, Manuel Machado.

A empresa de Coimbra foi a primeira startup portuguesa a integrar o programa de aceleração da Techstars em Boston, nos Estados Unidos da América, e mais recentemente, no ano passado, foi considerada uma das empresas mais promissoras do ponto de vista tecnológico pela European Institute for Innovation and Technology (EIT) Health, que agrega as mais prestigiadas instituições de investigação mundiais na área da saúde.

A ideia é poupar tempo e rentabilizar o trabalho através de uma plataforma que otimiza os processos de pesquisa, escrita, formatação e gestão de documentos profissionais. Tudo é possível, desde criar novos documentos, editar os existentes, importar conteúdos, partilhar conteúdos. E isto por milhares de utilizadores em simultâneo, em diversos pontos do mundo, e sempre na mesma plataforma, de forma automatizada. O doDOC possibilita ainda acompanhar todo o ciclo de vida dos documentos e gerar relatórios de produtividade.

A startup de Coimbra focou-se na indústria farmacêutica, mas não quer ficar por aqui. “Para este ano (2017) a nossa prioridade é crescer e assegurar a continuação de fecho de contratos com grandes empresas farmacêuticas, sendo que o nosso foco continua a ser as grandes multinacionais representativas de toda a indústria e, até ao fim do ano, contamos fechar contratos com seis dessas grandes multinacionais”, contou Carlos Boto, um dos fundadores da doDOC, ao Observador, em fevereiro deste ano, revelando, contudo, que a solução que apresentam “é aplicável a muitos outros sectores industriais”. “Estamos ativamente a estudar e avaliar para entrarmos noutros setores industriais”, salientou.

Agora, com a distinção da EIT Health, a doDOC pretende também entrar no mercado europeu, mantendo contudo a aposta no mercado norte-americano.

A doDOC foi fundada por Carlos Boto, Paulo Melo e pelo argentino Federico Cismondi, que se conheceram através do programa MIT Portugal, em 2008. A startup arrancou em 2014 e logo no ano seguinte foi selecionada para integrar a Techstars, um programa de aceleração de empresas tecnológicas que está presente em 18 cidades do mundo.