Câmara vai recuperar infraestruturas danificadas nas intempéries de 2016

O executivo da Câmara Municipal de Coimbra (CMC) aprovou, por unanimidade, na sua reunião de ontem, uma proposta para a abertura do concurso público “Danos provocados nas infraestruturas do Município de Coimbra, nos eventos meteorológicos de 2016 – Construção de Muros e Taludes”. A proposta, que prevê intervenções em seis zonas do concelho, situadas nas freguesias de Ceira, Cernache, Santo António dos Olivais, S. Silvestre e na União de Freguesias de Santa Clara e Castelo Viegas, foi aprovada, à exceção da ação na Rua dos Picotos, em Cernache, que levantou dúvidas e, por isso, foi deliberado que se iria pedir esclarecimentos adicionais aos serviços. O preço base da empreitada é de 224.573,72euros (com IVA) e o prazo de execução de 180 dias.

Os ventos e as chuvas atípicas que se fizeram sentir em janeiro e fevereiro do ano passado provocaram vários estragos em infraestruturas do concelho. A CMC procedeu ao levantamento de todas as situações de vulnerabilidade, para que fossem efetuadas as devidas intervenções. Contudo, alguns dos locais propostos não são possíveis de aceder somente pela via pública e ainda não foram conseguidas as devidas autorizações de acessibilidade, como é o caso do muro de suporte da Rua da Boiça, na Estada de Vendas de Ceira, ou do muro de suporte da Rua do Sobreiral.

A autarquia decidiu, assim, avançar com a obra nos locais onde é possível executar os trabalhos e onde já conseguiu autorização para aceder pelo interior das propriedades, como acontece na freguesia de S. Silvestre. A empreitada prevê intervenções nos muros de suporte da Rua da Capela (em Quimbres), Rua da Chainça (em Pereiros de Baixo), da Rua do Picoto (que ficou de ser esclarecida) e Rua do Poço de Água, bem como a estabilização de taludes na Rua do Vale Açor e no nó de ligação à Circular Externa, em Coselhas.

A obra prevê a construção de muros de suporte tipo gabiões, colchão reno ou módulos de betão pré-fabricados, para estabilização de taludes e/ou reforço de muros existentes nos locais referidos, incluindo ainda trabalhos inerentes à execução de órgãos de drenagem, pavimentação de áreas confinantes aos espaços de intervenção e instalação de guardas de segurança.