CMC apoia financeiramente Bombeiros Voluntários de Coimbra e de Brasfemes

O presidente da Câmara Municipal de Coimbra (CMC), Manuel Machado, assinou hoje, na Sala de Sessões da CMC, dois protocolos de colaboração anual, um com a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Coimbra e outro com a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Brasfemes, para a atribuição de uma comparticipação financeira de 100 mil euros (50 mil euros para cada corporação), montante destinado a apoiar a sua atividade. 

Apesar de a assinatura destes protocolos ter sido agendada há cerca de uma semana, Manuel Machado não deixou de comentar os incêndios que ontem deflagraram em Coimbra, elogiando a atuação dos bombeiros. “Quero dizer-vos, nesta oportunidade, que o trabalho que fizeram, neste fim de semana, em especial ontem, foi notável. Foi um gosto ver uma coordenação efetiva de todos os intervenientes”, destacou Manuel Machado, demonstrando a sua satisfação com o trabalho realizado pelas várias corporações de bombeiros no combate aos incêndios que este domingo lavraram no concelho de Coimbra.

O autarca salientou ainda a boa articulação e cooperação das Associações Humanitárias dos Bombeiros Voluntários de Coimbra e Brasfemes, dos Bombeiros Sapadores de Coimbra, da CMC, da Proteção Civil, da Polícia Judiciária e demais entidades presentes no terreno.

“Apesar dos prejuízos, correu bem, graças à capacidade operacional que demonstraram no terreno, mas temos de estar em alerta. Queremos, também, transmitir uma mensagem tranquilizadora para a comunidade, pois, onde houver necessidade, o pessoal arranca sem medo para combater o inimigo e com eficácia”, assegurou Manuel Machado.

Com a assinatura destes protocolos, cada uma das associações vai receber um subsídio de 50 mil euros, à semelhança do que aconteceu em 2016, valor que servirá para reforçar o seu funcionamento durante o ano em curso. Esta é uma forma de a CMC ajudar os Bombeiros Voluntários de Coimbra e de Brasfemes na realização dos seus objetivos e na concretização das suas funções sociais e humanitárias, tendo em conta o seu desempenho, nomeadamente o esforço que estas corporações desenvolvem na prevenção e no combate aos incêndios durante o habitual período crítico.

A proposta de atribuição destes subsídios às duas associações de bombeiros foi aprovada, por unanimidade, na reunião do executivo municipal do passado dia 20 de junho.