Coimbra e Montemor-o-Velho avançam para construção da nova Ponte do Paço entre Arzila e Pereira

O presidente da Câmara Municipal de Coimbra (CMC), Manuel Machado, e o seu homólogo de Montemor-o-Velho, Emílio Torrão, estiveram hoje junto à Ponte do Paço, numa reunião de trabalho preparativa da construção de uma nova travessia, a financiar por ambos os municípios. Os dois autarcas falaram aos jornalistas, nos terrenos adjacentes à Ponte do Paço, que irão receber o traçado da futura ligação intermunicipal, que acabará com o “estrangulamento” que a atual ponte representa devido à sua reduzida largura, que apenas autoriza trânsito alternado em cada um dos sentidos.    

Para além dos líderes das autarquias, marcaram presença no local, a vereadora da Cultura da CMC, Carina Gomes, o presidente da junta de Freguesia de Pereira, Rui Almeida, e diversos técnicos camarários.

Segundo Manuel Machado, a nova travessia entre Arzila e Pereira “devia ter sido feita porque é uma estrada nacional, entretanto desclassificada”, salientando que “o objetivo era fazer isto ao mesmo tempo que foi desclassificado o troço do lado de Montemor, na Estrada Nacional 111, uma questão muito antiga”. 

“É uma questão que escusava de existir”, afirmou o autarca, referindo que “podia ter sido resolvida ao longo do tempo aquando da construção da variante de Taveiro”. O edil explicou ainda que “pelo estatuto da lei que regula as pontes, mesmo nas situações de desclassificação de Estrada Nacional, as pontes mantêm a responsabilidade e diligência técnica por parte da Infraestruturas de Portugal”.

Recorde-se que, em 26 de novembro de 2016, Manuel Machado afirmou que os dois municípios se encontravam a trabalhar em conjunto na resolução deste problema.

Por seu turno, o presidente da Câmara Municipal de Montemor-o-Velho, Emílio Torrão, afirmou que a resolução deste problema só é possível porque os líderes dos dois municípios decidiram “abraçar este projeto e avançar”. 

Ultrapassadas todas as dificuldades, dúvidas e contrariedades, os presidentes das autarquias de Coimbra e Montemor-o-Velho juntaram-se e decidiram intervir, substituindo a empresa Infraestruturas de Portugal.

A nova ponte deverá custar cerca 250 mil euros (IVA incluído) e apresentar 10 metros de vão e 10 metros de largura sobre a vala do Paúl de Arzila, na Estrada nacional 341. Prevê-se que os custos sejam repartidos em partes iguais pelos dois municípios.