Manuel Machado preocupado com a atual situação europeia

O presidente da Câmara Municipal de Coimbra, Manuel Machado, afirmou hoje, no Salão Nobre dos Paços do Município, que o atual modelo europeu e a democracia correm riscos. O autarca falava durante a receção ao embaixador da República Checa em Portugal, Stanislav Kázecký, acompanhado de membros da Comissão de Educação, Ciência, Cultura, Direitos do Homem e Petições do Senado do Parlamento deste país. Do grupo fazia parte o vice-presidente do Senado Jiri Sesták, o presidente da Comissão, Zdenek Papousek, os vice-presidentes da Comissão, Jaromir Jermár e Jiri Ruzicka, e o senador Jiri Cunek. Da comitiva fazia ainda parte António Afonso, Cônsul Honorário da República Checa em Portugal. 

“Depois de termos conquistado a liberdade e a democracia, muitas pessoas já se esqueceram que antes houve prisões, repressão, limitação de direitos políticos, económicos e sociais (…) e este tempo que vivemos em paz e democracia na Europa, tal como em Portugal, tem levado a alguma distração por parte de responsáveis políticos que parece que andam a brincar com o fogo”, afirmou Manuel Machado, instado por Jiri Cunek a pronunciar-se sobre o atual estado da União Europeia.

Segundo o autarca, “a Europa anda esquecida de si própria, das regiões e dos povos que a integram e a existência de uma dinâmica muito tecnocrática, em vez de uma dinâmica política, filosófica e humanista, pode impulsionar retrocessos altamente perigosos”. Para o edil, a problemática dos imigrantes e as dificuldades de se desenvolverem políticas solidárias e humanistas são formas de exploração que representam um retrocesso anterior à II Guerra Mundial. “Não gostaria de ver a história repetir-se como tragédia (…) e há, atualmente, um modo de viver a democracia que é de alto risco”, vincou. 

“A democracia, tal como a liberdade, tem de ser regada todos os dias para que se possa manter ativa”, afirmou o presidente da CMC, lançando um apelo aos “jovens de todas as idades” para que “todos os dias cumpram essa missão”. 

O embaixador da República Checa em Portugal e os 5 parlamentares estiveram em Coimbra pela primeira vez. Na conversa, o presidente da autarquia abordou a história da cidade, do país e da diáspora portuguesa, além de aspetos atuais, como é o caso do sucesso alcançado pelo Instituto Pedro Nunes e de empresas de Coimbra de base tecnológica. No diálogo falou-se ainda da revolução do 25 de Abril, que amanhã se comemora.

O embaixador da República Checa em Portugal agradeceu a receção, reconhecendo várias semelhanças na história recente dos dois países. “Na nossa revolução, os estudantes confrontaram os militares e também lhes tentaram oferecer flores, especialmente o cravo”, afirmou, no diálogo com Manuel Machado.