CMC aprova projetos de arquitetura para novo Centro de Saúde Fernão de Magalhães e remodelação de Celas

O vereador do Urbanismo da Câmara Municipal de Coimbra, Carlos Cidade, deferiu os projetos de arquitetura do futuro Centro de Saúde Fernão de Magalhães e da remodelação do Centro de Saúde de Celas. No primeiro caso, trata-se de uma construção nova, a erigir entre a Av. Fernão de Magalhães e a Rua Padre Estevão Cabral, num espaço que hoje é utilizado como estacionamento. Quanto ao Centro de Saúde de Celas, trata-se de introduzir melhorias funcionais na infraestrutura existente.

O futuro edifício do Centro de Saúde Fernão de Magalhães, cujo projeto de arquitetura foi agora aprovado pela CMC, terá quatro pisos e uma cave, servidos por dois elevadores, um principal e outro de emergência. No rés-do-chão irá localizar-se a USF (Unidade de Saúde Familiar) Fernão de Magalhães, com uma entrada independente pela Rua Padre Estevão Cabral. Este piso contará ainda com a consulta em isolamento, uma entrada direta para utentes e uma comunicação interna para os profissionais, mais acessos independentes para Saúde Oral e Serviço Social.

No piso 1 será instalada a Unidade de Cuidados de Saúde Personalizados (UCSP) Fernão de Magalhães e a Unidade de Saúde Pública. No piso 2 estão previstas as restantes áreas funcionais da Unidade de Recursos Assistenciais Partilhados (URAP) e parte da Unidade de Cuidados na Comunidade (UCC). No último piso irá funcionar a direção, áreas de pessoal e de trabalho polivalente. Os dois últimos pisos possuem uma escada de ligação de serviço.

Na cave vão funcionar áreas técnicas e estacionamento. Está previsto um total de 37 lugares (23 na cave e 14 exteriores). Entre estes, haverá sete lugares de estacionamento para pessoas com mobilidade condicionada – quatro na cave e três no exterior.

Os objetivos da construção do novo Centro de Saúde Fernão de Magalhães incluem melhorar as condições de atendimento da população e o acesso a cuidados de saúde; promover a reforma dos cuidados de saúde primários e obter ganhos em saúde da população abrangida.

Na memória descritiva deste projeto pode ler-se que “as atuais instalações do Centro de Saúde Fernão de Magalhães apresentam uma estrutura desadequada à prestação de cuidados de saúde, estão em deficientes condições para a prestação de cuidados e são estruturalmente impeditivas da concretização de todo o potencial clínico e assistencial que as equipas de saúde poderiam prestar aos 28533 cidadãos aí inscritos”.

O documento refere ainda que “este investimento permitirá otimizar recursos, melhorando o nível de acesso aos cuidados. Os utentes do centro da cidade de Coimbra ficam em igualdade no acesso à prestação de cuidados de saúde com as regiões do país com serviços de vanguarda em cuidados de saúde primários. Serão disponibilizadas aos cidadãos novas valências e melhoradas as condições de atendimento e prestações de cuidados. Fica resolvido um crónico problema de acessibilidade física, criando-se igualdade de oportunidades no acesso aos cidadãos com mobilidade condicionada”.