Oportunidades de financiamento do IFRRU apresentadas no Convento São Francisco

Reabilitar para revitalizar as cidades. Foi este o mote da sessão de apresentação do Instrumento Financeiro Reabilitação e Revitalização Urbanas - IFRRU 2020 -, que decorreu durante a tarde de ontem no Convento de São Francisco (CSF), em Coimbra.

Esta sessão contou com a intervenção da secretária de Estado da Habitação, Ana Pinho, e do presidente da Câmara Municipal de Coimbra (CMC) e da Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP), Manuel Machado.

O presidente da CMC e da ANMP destacou que, “no âmbito de um Protocolo celebrado entre a Associação Nacional de Municípios Portugueses e a Estrutura de Gestão do IFRRU”, “a ANMP tem tido, uma participação ativa, procurando garantir que os Municípios são envolvidos no processo de implementação e que a utilização das verbas disponibilizadas pelo IFRRU respeitam as estratégias locais de desenvolvimento urbano”.

O autarca salientou ainda a colaboração das Autoridades de Gestão dos Programas Operacionais do Portugal 2020, que “já suscitaram o interesse de cerca de dois mil e quinhentos participantes, quer das Autarquias Locais, quer das empresas privadas”, reconhecendo aqui “uma oportunidade de financiamento de diversas operações de reabilitação urbana”.

A secretária de Estado da Habitação, Ana Pinho, destacou a evolução do IFRRU 2020, desde a sessão de lançamento, em Viseu, até ao dia de hoje. “Quatro meses passaram e podemos dizer que já têm vários contratos celebrados, mais de 40 candidaturas, representando 128 milhões de euros”, frisou.

O presidente da Comissão Diretiva da Estrutura de Gestão do IFRRU 2020, Abel Mascarenhas, destacou o objetivo do IFRRU 2020 enquanto instrumento financeiro do Portugal 2020 integrado numa nova geração de políticas de habitação. “Agora é o momento de nos focarmos na execução, execução, execução (…) as nossas cidades não podem perder esta oportunidade, o nosso país não pode perder esta oportunidade”, frisou o presidente da Comissão Diretiva da Estrutura de Gestão do IFRRU 2020.

Abel Mascarenhas elogiou o CSF, “espaço fantástico exemplo de reabilitação urbana” e ainda o papel fundamental da ANMP por acreditar no sucesso do projeto, aquando da assinatura do protocolo, em junho de 2016.

Na sessão de apresentação do IFRRU 2020, que contou com a participação da vogal do Conselho Diretivo do programa Operacional Centro 2020, Isabel Damasceno, da vogal da Comissão Diretiva da Estrutura de Gestão do IFRRU 2020, Dina Ferreira, do bastonário das Ordem dos Engenheiros Técnicos, Augusto Ferreira Guedes, e do administrador da Agência para a Energia, Manuel Bóia, foi ainda assinado um Protocolo entre a Ordem dos Engenheiros Técnicos e a Estrutura de Gestão do IFRRU 2020.