Print this page

CM Coimbra atribui mais de 373 mil euros a oito IPSS do concelho

O executivo da Câmara Municipal (CM) de Coimbra aprovou, na sua reunião de sexta-feira, oito propostas para apoios financeiros a outras tantas Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) do concelho, no valor global de 373.556,28 euros, atribuídos no âmbito do Regulamento Municipal para Atribuição de Apoios na Área Social (RMAAAS). As IPSS contempladas são o Centro de Solidariedade Social da Adémia (256.824,16 euros); Centro Social e Paroquial de Trouxemil (6979,12 euros); Centro Paroquial de Bem-Estar Social de Almalaguês (1205,19 euros); Plataforma PAJE – Apoio a Jovens (ex)Acolhidos (2156,18 euros); CASPAE – Centro Social de Pais e Amigos da Escola (11.984,07 euros); CULTURAL – Associação de Apoio Social e Desenvolvimento das Casas Novas (19.980,48 euros); Lar de S. Martinho (13.369,51 euros); e Santa Casa da Misericórdia de Coimbra (61.057,57 euros).

A verba atribuída destina-se a obras de construção e beneficiação de espaços, à aquisição de material ou a atividades e projetos a desenvolver pelas IPSS. A maior fatia do bolo, de 256.824,16 euros, será para o Centro de Solidariedade Social da Adémia e servirá de apoio à implementação de uma nova Estrutura Residencial para Pessoas Idosas, cujo pedido de licenciamento da construção já foi deferido pela autarquia. Os custos da edificação do equipamento social serão, então, financiados pela CM Coimbra, suportados por capitais da instituição, com a ajuda de particulares, e recorrendo à banca. Uma resposta social que vai ao encontro das necessidades identificadas pela autarquia para a área social e que permitirá que “Coimbra continue a disponibilizar de uma instituição de referência concelhia, dinâmica e dinamizadora, centrada na promoção da qualidade de vida da população”, lê-se na informação que vai à reunião de Câmara, acrescentando que este “novo equipamento irá permitir a criação de 22 novos postos de trabalho com vínculo laboral à instituição.

A Santa Casa da Misericórdia de Coimbra solicita um apoio financeiro para a construção de Apartamentos de Autonomização para jovens institucionalizados em Casas de Acolhimento. O apoio municipal, calculado segundo os critérios do RMAAAS, será de 61.057,57 euros e servirá, assim, para apoiar a criação desta resposta social.

O apoio financeiro solicitado à autarquia pela CULTURAL – Associação de Apoio Social e Desenvolvimento das Casas Novas será para a edificação da 1ª fase do seu equipamento. Uma ajuda que decorre das dificuldades financeiras que esta instituição tem neste momento e que a impossibilitam de avançar, apenas com os seus recursos, para a remodelação do seu edifício sede. O apoio da autarquia será de 19.980,48 euros e possibilitará que Coimbra disponibilize à comunidade, nomeadamente a residentes na União de Freguesias de S. Martinho do Bispo e Ribeira de Frades, um equipamento para desenvolver várias atividades de cariz social e de interesse para a população num espaço polivalente.

Já o Centro Social e Paroquial de Trouxemil, que disponibiliza respostas sociais de creche, pré-escolar, e Componente de Apoio à Família, solicita uma verba para a aquisição de equipamento adequado e ajustado às necessidades das crianças que frequentam estes espaços. O apoio municipal – que neste caso e de acordo com o RMAAAS é de 6979,12 euros – servirá, então, para possibilitar que essas crianças disponham de espaços adequados e apetrechados de equipamentos de qualidade, que lhes garantam um ambiente físico e material acolhedor e estável e que contribuam para o seu bem-estar, aprendizagem e desenvolvimento.

No caso do Centro Paroquial de Bem-Estar de Almalaguês, o apoio solicitado destina-se à requalificação dos espaços exteriores da creche, jardim de infância (pré-escolar) e parte do Centro de Atividades dos Tempos Livres, algumas das respostas sociais que esta IPSS disponibiliza. Um apoio que se cifra em 1205,19 euros e que permitirá, assim, que esta instituição melhore as condições de segurança e de lazer dos referidos espaços, de modo a que as crianças que frequentam as suas respostas sociais possam usufruir de locais adequados às suas atividades lúdicas.

Os restantes apoios destinam-se ao desenvolvimento de projetos ou atividades das instituições. O Lar de S. Martinho pretende implementar o Projeto VO(L)AR, que promove a autonomização de jovens que estão institucionalizados até à maioridade, potenciando as suas caraterísticas e competências, com acompanhamento técnico especializado, através de treinos, atividades da vida diária e sessões de procura ativa de emprego, de forma a que transitem para uma residência própria e se integrem profissional e socialmente. O projeto pressupõe, ainda, a mudança dos jovens para uma ala do Lar de S. Martinho, com a duração de 12 meses, renovando-se anualmente, e o apoio da autarquia será de 13.369,51 euros.

Já o CASPAE – Centro Social de Pais e Amigos da Escola solicita apoio para a viabilização do projeto “Limites Invisíveis”. Um projeto que integra três componentes: a intervenção; a formação e a pesquisa através da implementação de programa de educação outdoor, que são desenvolvidos em complementaridade à oferta educativa formal para crianças entre os 3 e os 10 anos. A 1ª fase do projeto teve início em 2016, em dois estabelecimentos de educação pré-escolar da cidade, através de um projeto-piloto. Atualmente, decorre a 2ª fase, em grupos mais alargados de crianças, na forma de “Visitas à Casa da Mata”. Contudo, a falta de apoios ao funcionamento do projeto, tem levado o CASPAE a assumir os custos associados aos recursos humanos, uma vez que as comparticipações dos agregados familiares são muito baixas. Nesse sentido, para que o projeto tenha continuidade, o CASPAE solicitou o apoio financeiro da CM Coimbra, que, de acordo com o RMAAAS, deverá ser de 11.984,07 euros.

Por fim, a Plataforma PAJE – Apoio a Jovens (ex)Acolhidos solicita o apoio da autarquia para a realização das suas atividades, direcionadas não só para jovens ex-acolhidos, como também para técnicos/cuidadores e para a comunidade em geral. As atividades vão desde formação a ações de sensibilização e autonomização de jovens, entre outras, e têm um carater de importância elevada, uma vez que no concelho de Coimbra funcionam oito equipamentos com a resposta de Lar de Infância e Juventude, com capacidade para 378 crianças ou jovens, o que corresponde a 47% do total de equipamentos sediados no distrito. O apoio financeiro municipal, calculado segundo o RMAAAS, será de 2156,18 euros.