Arranca hoje a recuperação do Bairro de Celas num investimento da Câmara superior a 2,6M€

O presidente da Câmara Municipal de Coimbra (CMC), Manuel Machado, assinou hoje o auto de consignação da empreitada “Reconstrução de 38 Habitações no Bairro de Celas”. A obra fica assim entregue à empresa Construções Castanheira & Joaquim, Lda. e representa um investimento de 2.675.442 euros (IVA incluído). A cerimónia decorreu na sede da Associação de Moradores do Bairro de Celas onde compareceram muitos dos vizinhos do bairro que expressaram a sua alegria pelo arranque desta obra.

Arranca hoje a recuperação do Bairro de Celas num investimento da Câmara Municipal de Coimbra superior a 2,6 milhões de euros. A intervenção inclui a reabilitação de 11 habitações na Rua do Castelo, 13 na Rua do Marco da Feira, três na Rua das Cozinhas, quatro na Rua Larga, duas no Largo de S. João e cinco na Rua do Borralho. Com esta empreitada, ficarão recuperadas 73% das 100 habitações do Bairro de Celas.

Manuel Machado apelou à colaboração de todos durante a obra para que decorra bem e sem percalços. Para o autarca este é “um investimento produtivo (...) num bairro com características muito especiais”, salientando o facto de a empreitada ser financiada na totalidade pelo orçamento municipal. E concluiu: “Quem faz um bairro não são as casas, embora sejam importantes, mas sim as pessoas, e melhorando a habitabilidade das casas as pessoas podem viver melhor”.

A intervenção irá abranger as habitações n.ºs 5 a 14 e 16 da Rua do Castelo; n.ºs 2, 4, 8, 10, 12 a 19, 21 e 23 da Rua Marco da Feira; n.ºs 2, 4 e 6 da Rua das Cozinhas; n.ºs 2, 4, 5 e 7 da Rua Larga; n.ºs 1 e 2 do Largo de S. João; e, por fim, n.ºs 2, 4, 11, 13 e 15 da Rua do Borralho.

Este é um novo procedimento que inclui as 25 habitações que não chegaram a ser intervencionadas no âmbito da empreitada de “Reconstrução de 34 Habitações no Bairro de Celas”. O executivo municipal decidiu terminar este contrato, por unanimidade, devido ao incumprimento da empresa a quem foi adjudicada a obra. A esta decisão seguiu-se um novo procedimento para a conclusão das nove habitações que ficaram inacabadas. A nova empreitada engloba as 25 casas que não receberem intervenção, mais 13 habitações que se encontram devolutas e sem condições de habitabilidade.

A adjudicação foi efetuada, na sequência de um concurso público, e aprovada, por unanimidade, a 22 de maio de 2017, pelo executivo camarário. A 18 de setembro do presente ano foi aprovada pelo executivo municipal a minuta do contrato, que foi assinado no passado dia 20 de novembro de 2017.

No final da assinatura do auto de consignação da empreitada, o presidente da CMC, Manuel Machado, celebrou ainda três contratos de arrendamento com a respetiva entrega das chaves a três famílias.

Presentes na cerimónia estiveram também os vereadores Carina Gomes e Francisco Queirós.