DE COIMBRA PARA O MUNDO | Space Layer Technologies, monitorização da qualidade do ar

A Space Layer Technologies encontra-se instalada na incubadora do Instituto Pedro Nunes (IPN), em Coimbra. A empresa, que desenvolve “soluções multiplataforma para alertas em tempo real, com base em Big Data, imagens de satélite e sensores instalados em estruturas fixas e em veículos em movimento” foi visitada, no final do passado mês de julho, pelo presidente da Câmara Municipal de Coimbra (CMC), Manuel Machado.

O projeto da Space Layer Technologies SOUL- Sensor Orbservation of Urban Life foi premiado, o ano passado, no âmbito da iniciativa EIT Health Innostars, do programa EIT Health, uma das iniciativas mundiais mais importantes na área dos cuidados de saúde.

O SOUL é um dos “filhos” do Internet Innovation Hub (IHUB) Coimbra. Um projeto sedeado no IPN que visa promover o empreendedorismo e a inovação com base nas tecnologias da Internet do Futuro, que conta com o apoio da Comissão Europeia (tecnologias FIWARE) e que a CMC apoia financeiramente desde 2015 e irá apoiar até 2019, num total de 110 mil euros. O IHUB serve, precisamente, para potenciar projetos como o SOUL, sendo que este, especificamente, já recebeu um dos mais importantes prémios mundiais na área dos cuidados de saúde.

O SOUL é uma plataforma informática que procura minimizar o impacto da poluição atmosférica na vida das pessoas, sobretudo as que sofrem de problemas respiratórios, através de uma aplicação móvel que, em tempo real e em previsão, considera os perfis biomédicos individualizados e envia alertas e recomendações. O SOUL utiliza sensores móveis, imagens de satélite e algoritmos inteligentes para a previsão temporal e espacial da qualidade do ar e tem como missão promover o bem-estar físico da população. Mas este é apenas um dos projetos da Space Layer Tehcnologies, uma empresa que já trabalha com a CMC nesta área da monotorização da qualidade do ar.

Recorde-se, ainda, que a Space Layer Technologies foi uma das primeiras startups a ser selecionada para o centro de incubação da Agência Espacial Europeia em Portugal (ESA BIC Portugal), que se encontra sob coordenação do IPN. Uma estrutura que apoia startups que apliquem tecnologia desenvolvida para o Espaço em setores como saúde, transportes, energia, segurança e vida urbana.

O programa o ESA BIC Portugal representa um investimento direto em Portugal de 1.950.000 euros (um milhão novecentos e cinquenta mil euros), em cinco anos, até 2019, e prevê incubar até 30 empresas que irão criar cerca de 240 novos postos de trabalho, angariando um capital esperado superior a 6,5 milhões de euros durante esse período. Este programa é liderado pelo IPN e tem polos no UPTEC e na agência DNA Cascais. Os projetos são apoiados com 50 mil euros para a construção de protótipos e gestão de propriedade intelectual, beneficiando adicionalmente de apoio de negócio e apoio técnico, bem como do acesso a uma vasta rede de potenciais clientes, parceiros e investidores.