Campo do Futebol Clube de São Silvestre já tem novo relvado sintético

O novo relvado sintético do campo do Futebol Clube de São Silvestre (FCSS) foi ontem estreado. Trata-se de um investimento de 172 mil euros, que foi assumido pela Câmara Municipal de Coimbra (CMC), através de um contrato programa celebrado com o clube no passado dia 25 de junho.

Este é um apoio que a autarquia justifica com a necessidade de dotar de condições similares as associações que desenvolvem a modalidade de futebol no concelho, possibilitando, assim, boas condições para a prática desportiva a todos os seus munícipes. O novo campo de futebol foi entregue ao FCSS, numa cerimónia que contou com a presença do presidente da CMC, Manuel Machado, que descerrou uma placa comemorativa na presença de Carlos Protásio, presidente do FCSS, Horácio Antunes, presidente da Assembleia Geral da Associação de Futebol de Coimbra (AFC), dos vereadores Carlos Cidade e Carina Gomes e do presidente da Junta de Freguesia de São Silvestre, José Seiça, entre outras dezenas de presentes.

O presidente da CMC sublinhou o trabalho desenvolvido pelo presidente da direção do FCSS, Carlos Protásio. “De maneira muito subtil, muito simples, muito construtiva, tem trabalho, tem motivado e tem merecido o apoio de nós todos”, disse. Manuel Machado destacou ainda que este apoio incluiu o “pagamento honrado” do IVA relativo a esta intervenção, o que nem sempre aconteceu “noutros tempos”, havendo, por isso, “agentes desportivos que sofrem porque têm a casa penhorada, a reforma penhorada ou o salário penhorado”.

O presidente do FCSS destacou o empenho da CMC. “Sem a Câmara, sem a vontade, tanto do vereador, como do presidente, não era possível chegarmos a este ponto”, enalteceu, constatando que existiu sempre uma porta aberta para ser recebido e ajudado pela autarquia. Carlos Protásio anunciou também que o clube vai agora iniciar-se nos escalões de formação.

Por seu turno, José Seiça salientou que este foi um dia “memorável para o Futebol Clube de São Silvestre e para a freguesia”. O presidente da Junta de Freguesia destacou “a luta muito grande” do clube, que só foi possível porque “o presidente Manuel Machado tirou da gaveta os projetos que lá estavam e a obra agora está muito bem feita”.

Já Horácio Antunes entregou, em nome da AFC, um galhardete ao clube e outro a Manuel Machado, afirmando que a AFC “muito reconhecidamente lhe agradece esta obra que aqui está”.

O clube dispunha apenas de um campo em terra batida e chegou mesmo a candidatar esta intervenção ao financiamento da Federação Portuguesa de Futebol, através de um programa para melhoria de infraestruturas desportivas de clubes não profissionais. Contudo, o FCSS não foi contemplado com qualquer verba e a autarquia acabou por avançar com a atribuição de 172 mil euros ao clube para a requalificação do campo de futebol. “Esta é uma forma de repormos a justiça e a igualdade para todo o território do concelho”, considerou o vereador do Desporto da CMC, Carlos Cidade, quando a proposta foi aprovada na reunião de Câmara do passado dia 20 de junho.

A reconversão do campo para relva sintética tem como objetivo melhorar as condições oferecidas pelo clube para a prática desportiva de futebol e, assim, impulsionar o crescimento do seu número de atletas, sobretudo nas camadas de formação. A intervenção procura ainda colmatar a falta de competitividade sentida pelo FCSS que, por não dispor de infraestruturas com condições idênticas às de outras entidades similares, via os seus atletas a saírem para outros clubes, inclusive fora do concelho de Coimbra. Uma situação à qual a CMC é sensível, quer no zelo por melhores infraestruturas do clube, quer pela importância de possibilitar boas condições para a prática desportiva a todos os seus munícipes.

Esta é uma forma “da CMC dotar o concelho de condições o mais semelhantes possível entre todas as entidades que desenvolvem a modalidade de futebol, refletindo-se nesta intenção o interesse municipal”, lê-se na informação que foi aprovada na reunião de Câmara do dia 20 de junho. Cinco dias depois, o contrato programa estava a ser celebrado entre as partes e, dois meses e meio depois, o novo relvado sintético do FCSS está pronto a ser utilizado.

Recorde-se que o FCSS foi fundado em 1974, e, desde sempre, tem apresentado programas desportivos dirigidos à população, proporcionando momentos de prática desportiva formal e informal continuadamente e organizando diversos eventos desportivos de carater pontual.