Obra de desassoreamento do Rio Mondego arranca dentro de dois meses

O vereador do Desporto da Câmara Municipal de Coimbra (CMC), Carlos Cidade, adiantou hoje, ao falar na conferência de imprensa da XXXVI Regata Internacional da Queima das Fitas (RIQF) 2017, que se realiza no próximo sábado com o apoio da CMC, que as obras de desassoreamento do Rio Mondego arrancam dentro de dois meses, prolongando-se por um período aproximado de dois anos. 

“Esta obra deve-se em muito ao empenho do presidente da Câmara Municipal de Coimbra, Manuel Machado, e do atual Governo, em especial do ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes”, adiantou o vereador. Como explicou Carlos Cidade, “a obra já está adjudicada, estando-se apenas na fase de recolha de documentos para a realização do contrato”, acrescentando que “vai ser um período difícil, como em todas as obras, mas as provas que vão ter lugar nos dois próximos anos no Rio Mondego estão acauteladas”.

Carlos Cidade adiantou também que, devido à cada vez maior afluência que tem a margem esquerda do Mondego, este espaço vai sofrer obras de regularização, em especial a zona de estacionamento.

O responsável pelo Desporto da autarquia informou ainda que, na próxima reunião do Executivo da CMC, a realizar na próxima segunda-feira, irá ser apresentada uma proposta de atribuição de um subsídio à Queima das Fitas para contemplar as realizações desportivas do evento.

Falando sobre a prova, o vereador desejou os maiores êxitos para a Regata da Queima que, como disse, “é já uma referência”. “É importante valorizar o que é feito durante o ano pelas secções desportivas e culturais da AAC”, concluiu.

Além de Carlos Cidade, estiveram presentes nesta conferência de imprensa, João Pereira, do Conselho Geral da Queima das Fitas 2017, José Alberto Pereira, da Comissão da Queima das Fitas 2017, Miguel Falcão, da Comissão Organizadora da RIQF, e Luís Maricato, da Comissão organizadora da RIQF.

A primeira explicação dada por Miguel Falcão foi a de que, este ano, para que a regata possa manter a qualidade e realizar-se apenas num dia, as inscrições foram limitadas. Assim, vão participar 17 clubes nacionais e 17 estrangeiros, num total de 862 atletas e 470 tripulações. Na manhã do próximo sábado, dia 6 de maio, entre as 9h30 e as 12h15, vão decorrer 42 séries. Entre as 14h15 e as 16h00, decorrem 26 eliminatórias. Seguem-se, até às 17h40, as 12 finais. Já a partir das 17h45, realiza-se o Memorial José Matos com a participação de 18 shell de oito com timoneiro.

Para os responsáveis da organização, esta prova não seria possível de concretizar sem a ajuda dos 50 voluntários que já trabalham há mais de um mês, para que tudo possa correr pelo melhor. Igualmente importante, como destacaram, são os apoios da CMC, do Turismo Centro de Portugal, da Queima das Fitas, da Câmara Municipal de Montemor-o-Velho e da Federação Portuguesa de Remo. O evento conta ainda com a promoção do Magazine televisivo que dentro de semanas irá transmitir a regata. 

Os representastes da Queima das Fitas desejaram os maiores sucessos para a prova, que se realiza ininterruptamente desde 1982. Além de ser o maior evento desportivo da semana académica é também a maior regata do país em número de participantes. E, por isso, como disseram, é uma honra fazer parte do programa desportivo da Queima das Fitas.