Luís Figueiredo dá concerto intimista no Convento São Francisco

Luís Figueiredo apresentou, sábado à noite, no Grande Auditório do Convento São Francisco (CSF), o seu mais recente álbum duplo de originais, KRONOS/PENÉLOPE. Um concerto surpreendente, a começar logo pelo facto do público ter ficado sentado em pleno palco e os músicos a tocarem com a plateia do Grande Auditório em pano de fundo. O público gostou e aplaudiu o pianista e compositor conimbrincense, a voz de Rita Maria e os músicos Diogo Duque (trompete), Adja Zupani (cello), Mário Franco (contrabaixo) e Bruno Pedroso (bateria). 

Quem ia chegando era encaminhado para o palco. Subia as escadas e, com surpresa, percebia que se ia sentar mesmo ali, em qualquer uma das cadeiras vazias. Os músicos entraram e começaram a tocar, virados para o seu público, de costas voltadas para a plateia do Grande Auditório. Não tardou a ouvirem-se as palmas, num concerto que conseguiu ser intimista num espaço tão gigante como o Grande Auditório do CSF.  

Um concerto de apresentação do álbum KRONOS/PENÉLOPE, o terceiro de música original de Luís Figueiredo, depois de Manhã (JACC Records 2010) e Lado B (Sintoma Records, 2012). O novo álbum integra um conjunto alargado de participantes, que assume diferentes configurações, desde vozes, sopros, instrumentos solistas, adota formatos menos convencionais e inclui música com referências estilísticas diversas.

Luís Figueiredo conta com três álbuns orginais e mais de uma dezenas de registos discográficos como sideman, colíder ou produtor musical, ao lado de músicos como João Hasselberg, Luísa Sobral, Sofia Vitória, Jorge Moniz, Cristina Branco, Mário Franco e Ana Bacalhau. É o responsável pelos arranjos da música “Amar pelos dois”, canção interpretada por Salvador Sobral, que venceu o Festival da Eurovisão no ano passado.