CMC atribui apoio financeiro de 180 mil euros à Orquestra Clássica do Centro para o ano 2018

O executivo da Câmara Municipal de Coimbra (CMC) aprovou, na sua reunião de segunda-feira, uma proposta para a atribuição de um apoio financeiro, no valor de 180 mil euros, à associação Orquestra Clássica do Centro (OCC) para o ano de 2018, ao abrigo da 1.ª fase de candidaturas ao Apoio Financeiro Municipal ao Associativismo Cultural para Atividade Permanente para 2018, destinado a entidades que gerem equipamentos culturais municipais.

O apoio financeiro municipal é atribuído com base nos programas e no interesse municipal e cultural dos projetos apresentados pelas coletividades, que podem propor projetos para um, dois ou três anos, e na avaliação do desempenho das associações nos anos transatos, contando para a classificação um conjunto de critérios gerais e de critérios específicos.

A OCC apresentou uma proposta para um ano e teve uma avaliação final de 92,3 pontos (em 100), sendo o montante a conceder pela autarquia de 180 mil euros para apoio ao desenvolvimento da sua atividade de criação e produção artísticas na área da música durante o ano de 2018.

Agora, que o executivo municipal concordou com a proposta, proceder-se-á à assinatura do Protocolo de Apoio Financeiro Municipal ao Associativismo Cultural para Atividade Permanente para 2018 – Entidades com Gestão de Equipamentos Culturais Municipais, a celebrar entre a CMC e a OCC.

Recorde-se que a OCC, composta por 32 elementos, tem 16 anos de existência e uma forte atividade na cidade, mas também no plano nacional e mesmo internacional, sendo considerada de superior interesse cultural pelo Ministério da Cultura. A OCC organizou, o ano passado, 94 eventos, 87 atuações e introduziu no seu repertório 180 peças, e tem já concertos agendados, para este ano, em várias localidades, nas principais datas festivas, como Ano Novo, Carnaval, feriado municipal, Dia Mundial da Música e Natal.

A OCC foi a única candidata nesta 1ª fase, uma vez que as outras entidades que gerem equipamentos municipais estabeleceram protocolos plurianuais com a autarquia, que ainda se encontram a decorrer.