Coimbra celebra 150 anos do nascimento de Camilo Pessanha

Por ocasião da celebração do aniversário do nascimento de Camilo Pessanha (7 de setembro de 1867), em Coimbra, a Câmara Municipal, conjuntamente com o Grupo de Arqueologia e Arte do Centro (GAAC), propõem hoje uma série de iniciativas, que irão percorrer a Alta e a Baixa da cidade, com o objetivo de celebrar e homenagear o poeta.

As comemorações começaram logo pela manhã, na Casa de Chá do Jardim da Sereia, onde foi servido um Porto de Honra e o jornal “Viva Pessanha!” foi distribuído por todos os presentes. Seguiu-se a deposição de flores, pela vereadora da Cultura da Câmara Municipal de Coimbra (CMC), Carina Gomes, junto ao busto de Camilo Pessanha, localizado junto à entrada do Jardim da Sereia. O momento contou com a presença de representantes do GAAC, da Editorial Moura Pinto, e de diversas personalidades.

“Este foi um ato simbólico que abre um conjunto de iniciativas que visam integrar as comemorações dos 150 anos do nascimento de Camilo Pessanha (…) para que a memória e a obra não se percam”, afirmou Carina Gomes. A vereadora da Cultura da CMC felicitou ainda toda a equipa do GAAC por ter proposto este programa ao Município, salientando que nos últimos anos, “o GAAC sofreu um renascimento que é justo realçar”.

“Coimbra não podia passar por esta data sem a celebrar porque é efetivamente uma cidade de cultura e forte tradição literária”, sublinhou a autarca, acrescentando que “Coimbra não é uma cidade que fique presa ao seu passado, mas que se renova todos os dias e se projeta para o futuro”, terminado com um “Viva Coimbra!”

Durante o dia, haverá ainda uma performance do artista Gil Mac sobre Camilo Pessanha, na Casa da Escrita, declamação de poesia da Praça da República até à Praça 8 de Maio por vários “diseurs” e atores, e uma conferência sobre a estadia do poeta em Macau, na Casa da Escrita.

Ao final do dia será inaugurada uma exposição de pintura de Ivone Tavares, no café Santa Cruz, seguida de uma tertúlia dedicada ao poeta, e terminando o evento com bolo de aniversário, no mesmo café.

Esta é também uma oportunidade para se dar a conhecer melhor a obra do expoente máximo do simbolismo literário português, que nasceu, em Coimbra, em 1867, e morreu em Macau, em 1926.

Coimbra, cidade de cultura e conhecimento, com forte tradição literária e poética, não pode deixar de celebrar e recordar Camilo Pessanha, numa data especialmente importante e simbólica. Um poeta antecipador do modernismo e elogiado por Fernando Pessoa e Mário de Sá Carneiro.