Mais de 40 mil euros em apoios na área da Cultura

O executivo da Câmara Municipal de Coimbra (CMC) aprovou por unanimidade, na sua reunião de ontem, quatro propostas para a atribuição de apoios na área da Cultura. Dessas, duas dizem respeito a apoios financeiros, num total de 10.000 euros, e destinam-se ao Agrupamento de Escuteiros 796 – Bordalo e ao Grupo Folclórico e Etnográfico “As Tecedeiras de Almalaguês”.

Existe ainda um pedido da CulturXis – Associação de Desenvolvimento Artístico – CXACC para a cedência gratuita da Antiga Igreja do Convento São Francisco e respetivo recebimento de receitas de bilheteira. A autarquia vai ainda investir 32.525,31 euros, enquanto cobeneficiária do projeto “Artéria”, desenvolvido pelo grupo de teatro O Teatrão.

O Agrupamento de Escuteiros 796 – Bordalo, do Corpo Nacional de Escutas solicitou à autarquia um apoio financeiro para requalificar o edifício da sua sede, situada em Santa Clara, e cuja intervenção deverá ter um custo estimado de 12.000 euros. O Agrupamento de Escuteiros alega que o estado de degradação das instalações não beneficia nem os jovens escuteiros, nem os transeuntes da via pública e que estas necessitam de intervenção urgente. Neste caso, será concedido um apoio financeiro de 5000 euros.

A CulturXis – Associação de Desenvolvimento Artístico – CXACC também solicita o apoio da autarquia. Mas, neste caso, solicita a cedência gratuita da Antiga Igreja do Convento São Francisco para a realização de dois espetáculos. Um concerto protagonizado pelo coro Alma de Coimbra e outro pelo Coro Sinfónico Inês de Castro e Orquestra Atlântica, que decorrerão, respetivamente, nos dias 1 e 8 de dezembro próximo (às 21h30 e às 18h00), e estão integrados no III Ciclo de Concertos de Coimbra. A CulturXis pretende ainda arrecadar a receita de bilheteira dos dois espetáculos.

O terceiro é do Grupo Folclórico e Etnográfico “As Tecedeiras de Almalaguês”, que solicita à CMC um apoio financeiro para a reparação do telhado da sua sede Casa-Museu, o qual se encontra em avançado estado de degradação. Tendo em conta a relevância da associação, que todos os anos organiza o Festival de Folclore, mas também o facto de o grupo já ter recebido apoios no corrente ano, a CMC irá atribuir um apoio financeiro de 5000 euros para a realização da intervenção solicitada.

O último pedido analisado diz respeito à companhia O Teatrão. O grupo de teatro pretende que a CMC se comprometa com um investimento de 32.525,31 euros, enquanto cobeneficiária do projeto “Artéria”, que envolve ainda os municípios de Belmonte, Castelo Branco, Figueira da Foz, Guarda, Nazaré e Viseu e “visa a dinamização de uma programação cultural em rede baseada na excelência dos recursos patrimoniais e culturais presentes nos territórios envolvidos (…)”.

Um programa que foi alvo de uma candidatura a fundos comunitários, sendo que a percentagem de cofinanciamento previsto era de 85% para o FEDER e 15% para os cobeneficiários. Inicialmente, Coimbra teria de investir 16.821,45 euros, valor aprovado na reunião de Câmara de dia 10 de outubro de 2016. Contudo, a Comissão Diretiva da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC) mudou o regulamento e as percentagens de financiamento foram alteradas para 60% para o FEDER e 40% para os cobeneficiários. Assim sendo, o Teatrão, que já viu a candidatura aprovada, pretende refazê-la, de forma a diminuir o investimento total previsto para Coimbra, sendo que, ainda assim, o investimento da CMC deverá ser de 32.525,31 euros. Um valor que será apreciado e levado a votação na reunião do executivo de segunda-feira.

Os apoios financeiros solicitados pelo Agrupamento de Escuteiros 796 – Bordalo e o Grupo Folclórico e Etnográfico “As Tecedeiras de Almalaguês” vão ser oficializados em protocolo, a celebrar entre a CMC e as respetivas entidades beneficiárias.