Programa de visitas guiadas da Câmara Municipal de Coimbra para maio de 2017

Dando seguimento ao programa de visitas guiadas gratuitas organizado pela Câmara Municipal de Coimbra (CMC), que tem obtido o agrado dos munícipes e visitantes e uma procura crescente, a que não é alheia a aposta do Município no aumento da qualidade destas atividades culturais e sua diversificação, apresentamos o calendário com seis visitas do presente mês de maio de 2017. 

Para os próximo dias estão previstas as seguintes visitas: 

Dia 9, 15h00: Uma Cidade, Três Santos

Visita guiada no Mosteiro de Santa Cruz, centralizada na vida e obra de São Teotónio, Santo António e Rainha Santa Isabel, relacionando-a com esta casa monástica e com a cidade de Coimbra. A visita abarca a cultura e o culto das personalidades referidas, intimamente ligadas à cidade de Coimbra, à sua cultura e à difusão do seu nome no mundo.

Compreende um período de afirmação da nacionalidade e demarcação das linhas fronteiriças, visão e legado de um património imaterial pouco conhecido e raramente associado à cidade. Pretende-se com esta visita, criar um conhecimento mais abrangente da cidade com o mundo espiritual, Santiago de Compostela, Pádua e Fátima e o contributo, quer intelectual quer geográfico, de Coimbra, para o enriquecimento da história universal.

Local de encontro: em frente à Câmara Municipal de Coimbra

Dia 11, 15h00: Tradições Académicas e a Canção de Coimbra

Visita guiada pelas ruas da Alta da cidade que aborda a temática das tradições académicas, das repúblicas, das vivências entre estudantes e futricas e a sua participação no desenvovimento da Canção de Coimbra. A Canção de Coimbra está intimamente ligada à cidade e à sua universidade, desde o séc. XVI. É factual e conhecido este género de tradição dos estudantes nas ruas de Coimbra, onde o erudito e o popular se reviam e misturavam com frequência.

É na segunda metade de séc. XIX que o fado académico e as serenatas estudantis começam a ganhar contornos muito próprios, dando origem ao denominado Fado de Coimbra, acarinhado e divulgado pela comunidade académica, interpretado e criado com um sentimento e uma riqueza inigualável. Com os tempos, este género musical foi sendo remodelado, dando origem ao Canto e à Canção de Coimbra que a cidade, a sua Universidade e as suas gentes, vão orgulhosamente recriando, respeitando a sua essência e a sua génese.

Este itinerário pretende potenciar, divulgar, preservar e dar a conhecer um património material e imaterial de excelência, intimamente ligado à cidade, às suas tradições académicas, percorrendo algumas das ruas onde muitos dos seus mais conceituados autores viveram e onde muitas das Serenatas decorreram, terminando no mais recente núcleo dedicado à Guitarra e ao Fado.

Local de encontro: Sé Nova

Dia 16, 15h00: Coimbra Um Outro Olhar

Visita guiada a vários espaços, ruas, travessas e becos da Alta de Coimbra que foram palco de inúmeras estórias e vivências na cidade. Desde a época romana que se conhece a ocupação e afinidade das populações por esta colina e seus campos férteis à beira rio, estrategicamente situada e facilmente defensável pelos seus ocupantes.

Mais tarde, a cidade de Coimbra é escolhida para capital do Reino de Portugal e rapidamente atinge o seu auge e hegemonia, nas diferentes áreas, arquitetónica, cultural e artística. Centro de multiculturalidade, a cidade vê ser reconhecida a sua pluralidade com a implantação definitiva da maior instituição de ensino em Portugal, a Universidade.

Esta visita guiada tem por objetivo realçar e avivar memórias, vivências e estórias, tradições e aspetos histórico-culturais da cidade, cantores e compositores, políticos e filósofos, prémios nobel e cientistas, entre muitos e muitos outros que foram/são a essência da nação portuguesa, de Coimbra, hoje ilustremente reconhecida como Património Mundial da Humanidade pela UNESCO.

Local de Encontro – Largo Dr. José Rodrigues (em frente ao Museu Nacional Machado de Castro)

Dia 18, 15h00: Órgãos de Coimbra

Visita guiada a órgãos de tubos existentes na cidade, focando elementos da sua construção, história e finalidade à época. O órgão surge associado a festas e manifestações de caráter profano durante o período greco-romano. No entanto, na Baixa Idade Média começa a assumir um papel fundamental nas cerimónias religiosas, sendo autorizada a sua utilização pelo Papa Vitalino no século VII.

A produção destes instrumentos musicais alcança a sua máxima expressão durante o século XVIII, época em que também a talha dourada e policromada atinge o seu auge decorativo, tornando-se num elemento indispensável à exuberância e teatralidade dos cerimoniais religiosos. 

O objetivo desta visita é promover, divulgar e criar uma dinâmica acerca de um dos maiores acervos existentes em Portugal deste tipo de instrumentos musicais e que se encontram referenciados na região de Coimbra, inclusive alguns dos quais em espaços classificados como património da UNESCO.

Local de encontro: Sé Nova

Dia 23, 15h00: Coimbra e seus Escritores

Visita guiada a espaços (exteriores) associados a personalidades que nasceram, viveram, estudaram ou que de algum modo estão ligados à cidade de Coimbra, divulgando também a sua obra escrita e a Coimbra por eles vivenciada. Com esta visita pretende-se provocar a curiosidade para a vida e obra de algumas personalidades da Literatura Portuguesa e seu contributo na afirmação e desenvolvimento da mesma, bem como promover o património literário português com especial enfâse no contributo intelectual que Coimbra tem como centro difusor e produtor de cultura

Neste sentido, o objetivo desta visita prende-se não só com a promoção turística do património material, mas também imaterial, a forma como foi e é vivenciado por estes difusores únicos da nossa cultura, ajudando desta forma a introduzir novos recursos promocionais da nossa cidade a todos quantos nos visitam.   

Local de encontro: Largo D. Dinis

Dia 25, 15h00: Tesouros de uma Cidade Património Mundial

Visita guiada pelas ruas da Alta de Coimbra, focando as vivências, memórias, tradições e aspetos histórico-culturais, patrimoniais e imateriais da cidade. Tendo Coimbra algum do seu património classificado pela UNESCO, torna-se imperativo, cada vez mais, criar uma consciência coletiva para a preservação do espaço edificado, cultural e imaterial, estando alguns destes e outros bens ainda pouco divulgados.

De uma vasta riqueza patrimonial, cultural e imaterial, Coimbra foi formando, ao longo dos séculos, na consciência nacional, um conceito de multiculturalidade e uma identidade única, através da sua pluralidade intelectual, da sua expressão cultural, profissional e do seu associativismo. Este percurso dá continuidade à linha de promoção dessa identidade multicultural e de tolerância intelectual sempre presente nas vivências urbanas conimbricenses, no pormenor arquitetónico e patrimonial existente, nas suas histórias, atraindo deste modo um maior número de visitantes a este espaço nobre da cidade.

Local de Encontro – Largo D. Dinis

As visitas realizam-se com um mínimo de 10 pessoas e um máximo de 30. Os interessados devem fazer a sua inscrição, via telefónica ou presencial, na CMC (Casa Aninhas – 239 857 500 ou Casa Municipal da Cultura – 239 702 630). As visitas têm o seu início às 15h00 e são gratuitas. Todas as entradas pagas, caso existam, são da responsabilidade dos participantes, que são devidamente informados dessa circunstância.