Print this page

“Jardim Mendes Silva” vai florir na Solum

  • Mar. 21, 2018

No Dia Mundial da Árvore e da Floresta, o presidente da Câmara Municipal de Coimbra (CMC), Manuel Machado, assinou o auto de consignação da empreitada “Jardim Mendes Silva”, em homenagem ao antigo presidente da autarquia Fernando Mendes Silva. A criação deste novo espaço verde da cidade, que será vizinho do Centro Escolar Solum Sul, onde decorreu a cerimónia, ficará a cargo da empresa Advancegreen – Engenharia Natural e Urbana, Lda., que venceu o concurso, e representa um investimento de cerca de 90 mil euros. A iniciativa terminou com a apresentação do livro «“Mãos à Obra” Mendes Silva», uma edição da CMC e do Clube de Comunicação Social de Coimbra (CCSC).

A cidade de Coimbra irá ver florir um novo espaço verde. Perante a necessidade identificada de se criar um jardim num espaço confinante junto à escola Solum Sul, a CMC avançou com esta empreitada que será, ao mesmo tempo, uma homenagem a Fernando Mendes Silva. A ideia surgiu a 26 de novembro de 2016, aquando da cerimónia de descerramento de uma placa evocativa da vida e obra de Mendes Silva, na rua General Humberto Delgado, junto à unidade residencial do Calhabé, por ocasião do 162.º aniversário da Junta de Freguesia de Santo António dos Olivais.

“É justo criar lá um jardim público e atribuir-lhe o nome de Mendes Silva, para que os netos e as netas, os vindouros, os meus e os nossos, possam passar por ali e perguntar-se: mas por que é que num terreno tão bonito decidiram fazer um jardim em vez de um prédio?”, justificou, assim, Manuel Machado, por ocasião dessa cerimónia, referindo tratar-se de uma homenagem “honrada, bonita e elegante a um construtor da cidade”. Uma homenagem que hoje deu um passo importante para a sua concretização.

“A empreitada começa amanhã”, afirmou Manuel Machado, hoje, durante a assinatura do auto de consignação, desafiando a empresa a “acelerar o trabalho”. “Auto de medição feito e aprovado, é pago”, concluiu.

 

«“Mãos à Obra” Mendes Silva», um livro sobre um “homem notável, um construtor da cidade”

A iniciativa prosseguiu com mais uma homenagem a Fernando Mendes Silva: a apresentação do livro «“Mãos à Obra” Mendes Silva – Subsídios para a História de Coimbra», uma publicação realizada sob a coordenação de Braga da Cruz, Horácio Poiares e Rui Costa e editada pela CMC e pelo Clube de Comunicação Social de Coimbra.

“Escolhemos de propósito o dia de hoje, da Árvore e da Floresta, da Poesia, escolhemos deliberadamente esta escola, na Solum, a sua zona, e escolhemos deliberadamente construir um jardim, a pedido das crianças da escola, e atribuir-lhe o nome do Dr. Mendes Silva”, salientou o presidente da CMC, referindo que esta é uma justa homenagem a “um homem notável, um construtor da cidade”.

“Era um grande homem, bom solidário, sensível, de causas e entusiasmos instantâneos”, prosseguiu Manuel Machado, falando do tempo que passou com Mendes Silva e do privilégio que teve em aprender tanto com ele. “Hoje é um dia feliz para a nossa cidade, por estarmos aqui a lembrar um grande conimbricense. Ele faz-nos falta”, concluiu

“Este foi um dia bem escolhido. O Dr. Mendes Silva plantou muitas árvores, em diversas áreas”, afirmou, por sua vez, Braga da Cruz, agradecendo a todos os que colaboraram neste projeto, nomeadamente “aos que contaram histórias que nós não conhecíamos”, e a todos os que estavam presentes na sala, entre os quais as duas filhas de Mendes Silva, Margarida e Manuela.

“Foi uma personalidade realmente excecional, que se manifestou em muitos sentidos e na prossecução de várias e importantes causas”, referiu, por sua vez, Rui Alarcão, seu “condiscípulo em tempos do liceu”, agradecendo o convite para estar presente na apresentação da obra. “Uma vida tão intensa e fulgurantemente vivida foi quebrada, abrupta e dramaticamente, quando tanto havia ainda a esperar dele”, acrescentou Rui Alarcão, concluindo que ele deixou “muita admiração e saudade”.