CMC inaugura novo Centro Municipal de Apoio aos Caminhantes nos Campos do Bolão

O presidente da Câmara Municipal de Coimbra (CMC), Manuel Machado, inaugurou hoje o novo Centro Municipal de Apoio aos Caminhantes, situado nos Campos do Bolão. Uma estrutura concebida pelo ITeCons e três empresas, que foi adaptada e serve agora os peregrinos de Fátima e Santiago, numa altura em que se aproximam as celebrações do 13 de Maio, na Cova de Iria, que este ano comemoram 100 anos e contam com a visita do Papa Francisco. “Este projeto tem o objetivo de criar condições qualificadas para acolhermos os caminhantes. (…) E a nossa disponibilidade é total, porque queremos que as pessoas que por aqui vão passar sejam bem acolhidas, estejam seguras e que recordem Coimbra como um sítio onde se sentiram bem”, afirmou Manuel Machado.  

O novo Centro Municipal de Apoio aos Caminhantes dispõe, no seu interior, de vários lava-pés, lavatórios, casas de banho e arrumos e é lá que os caminhantes vão poder receber cuidados, tais como a lavagem de pés, tratamento de feridas, massagens, medição da tensão arterial e controlo da diabetes. Os caminhantes e peregrinos encontrarão ainda, nesse espaço, água e alimentos, tais como sopa, sandes e fruta, e um grupo de pessoas que lhes prestará assistência, composto por enfermeiros e voluntários da Cáritas Diocesana de Coimbra, da Associação Enfermeiros Católicos e Profissionais de Saúde, do Movimento da Mensagem de Fátima de Coimbra, da Escola Superior de Enfermagem de Coimbra e dos Escuteiros de Ceira.

A envolvente do imóvel foi também criteriosamente pensada pela CMC. A autarquia instalou uma pérgula, uma fonte, bancos, árvores e arbustos no exterior, de forma a proporcionar os necessários momentos de qualidade, de bem-estar e de repouso a quem optar por este percurso e pela paragem no Centro Municipal de Apoio aos Caminhantes. Aliás, um dos objetivos da CMC é conseguir captar os caminhantes e peregrinos para esta estrutura de apoio, tornando a sua passagem pelo concelho de Coimbra o mais segura possível.

“A travessia do concelho de Coimbra, estes 26 km de atravessamento, tem pontos de alguma dificuldade e temos um trabalho redobrado para garantir liberdade de circulação, aconselhando sempre a que o caminho se faça pelos sítios que recomendamos, porque são os mais seguros”, afirmou o presidente da CMC. “Obviamente que, seja em direção a Fátima ou a Santiago, as pessoas são livres de caminharem por onde entenderem; alertamos é para as regras relevantes de segurança, porque às vezes acontecem alguns desgostos. Infelizmente, ainda o ano passado isso sucedeu”, recordou Manuel Machado.

O presidente da CMC referiu que, para tal, já está a decorrer uma operação de sinalização, que apenas tem efeito de recomendação, para que os peregrinos e caminhantes saibam quais as várias opções de que dispõem para poderem fazer o seu caminho em segurança. “Nós apreciaremos muito que os cidadãos, as pessoas, os peregrinos que atravessam Coimbra levem daqui uma imagem marcante, que sejam acolhidos com conforto, carinho, solidariedade e amizade e, complementarmente, com todos os cuidados, médicos e outros, mas também com segurança. Porque isso é mesmo uma preocupação”, insistiu o presidente da CMC.

Manuel Machado revelou ainda que a Associação Académica de Coimbra – Organismo Autónomo de Futebol colocou à disposição dos peregrinos e caminhantes, durante este período de peregrinação a Fátima, os balneários do seu Centro de Treinos (que fica situado próximo do Centro Municipal de Apoio aos Caminhantes) para quem necessitar de tomar banho. Uma forma de prestar um apoio mais completo aos caminhantes e peregrinos que optem por passar pelo Centro Municipal de Apoio aos Caminhantes.

O presidente da CMC agradeceu, ainda, todo o apoio do ITeCons que, sublinhou, “tem tido, ao longo deste tempo, um trabalho de colaboração notável com a Câmara Municipal de Coimbra”. Já o presidente da direção da ITeCons, António Tadeu, retribuiu o agradecimento. “Estamos muito gratos, porque sabemos que dentro do parque do ITeCons a casa não teria utilidade e aqui vai ter um fim, vai ajudar alguém, neste caso, os peregrinos. E é importante salientar que é muito bom que a casa tenha visibilidade, com certeza que é publicidade que se faz ao trabalho que foi feito dentro do ITeCons. Por isso, agradeço muito ao Município de Coimbra, e ao seu presidente, pelo facto de se terem disponibilizado para que a casa fosse aqui montada e sirva também os interesses do próprio projeto”, referiu António Tadeu.

O edifício que acolhe o Centro Municipal de Apoio aos Caminhantes é um protótipo “Quickbuild”, desenvolvido pelo ITeCons, em colaboração com três empresas, e que teve apoio de fundos comunitários do Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN). Pretendeu-se desenvolver um imóvel completo, modular, acessível, durável, quase sem manutenção e que possa ser facilmente colocado em territórios de África e América Latina. Ao funcionar como Centro Municipal de Apoio aos Caminhantes, o ITeCons já conseguiu avaliar a forma como o protótipo foi desmontado (uma vez que estava instalado no instituto), transportado, e montado noutro local e poderá agora também analisar parâmetros como o comportamento térmico, a durabilidade ou estanquicidade do equipamento, entre outros.

A cerimónia de inauguração do Centro Municipal de Apoio aos Caminhantes contou ainda com a presença do Vigário Geral da Diocese de Coimbra, o padre Pedro Miranda, do pároco de Santa Cruz, Sé Nova e Sé Velha, Sertório Martins, da vice-presidente da CMC, Rosa Reis Marques, dos vereadores da CMC, Carina Gomes, Carlos Cidade e Jorge Alves, e de, entre outros, vários presidentes de Junta ou Uniões de Freguesia e representantes das associações que colaboram neste projeto: a Cáritas Diocesana de Coimbra, a Associação Enfermeiros Católicos e Profissionais de Saúde, o Movimento da Mensagem de Fátima de Coimbra, a Escola Superior de Enfermagem de Coimbra e os Escuteiros de Ceira.

Refira-se, ainda, que novo Centro Municipal de Apoio aos Caminhantes situa-se entre duas áreas da autarquia também elas alvo de melhoramentos: de um lado, estão os recentemente criados estaleiros do Departamento de Obras Municipais; do outro, um novo bosquete, aberto ao público no passado dia 21 de março, e que, pelas suas características, será por certo útil aos peregrinos e caminhantes. A área do bosquete inclui 10 freixos, 15 ulmeiros, 15 choupos, 5 chorões, 10 pinheiros, 15 bétulas e um alinhamento de 20 amieiros. Além destas 90 árvores e de um pequeno lago, todo o terreno foi coberto com prado, dispondo de mesas com bancos (fabricadas a partir da reciclagem de produtos plásticos) e papeleiras.

Associação Caminhos de Fátima promove melhoria das condições aos caminhantes

Manuel Machado revelou ainda que, no âmbito da Associação de Caminhos de Fátima (da qual é presidente da Assembleia Geral), ficou ontem decidido quais os caminhos e os percursos que se devem fazer, adiantando que estão também a sinalizar caminhos desde o Porto até Ourém. “Já foi possível concertar soluções e acertar os caminhos, defini-los e reativar alguns caminhos antigos”, afirmou o presidente da CMC, salientando que a sinalização é de recomendação. “As pessoas circularão pelos caminhos que entenderem, porque são livres”, acrescentou Manuel Machado. “Isso está a decorrer desde o sul do Porto até Ourém e penso que ontem também ficou impulsionada mais uma etapa para sul de Ourém, até Lisboa”, adiantou.

Noutro contexto, Manuel Machado também revelara, recentemente, que o Município de Coimbra acolheu a proposta da Rede de Castelos e Muralhas do Mondego, em conjugação com a Associação Caminhos de Fátima, de criação do Caminho das Carmelitas. A ideia, segundo o edil, passa pela inclusão no Caminho de Fátima e de Santiago - no concelho de Coimbra - do Caminho das Carmelitas. A decisão de abrir outra frente no âmbito do Turismo Religioso foi convencionada pelos vários municípios que integram a Rede e a Associação. A Rota das Carmelitas iniciar-se-á no Carmelo situado nas proximidades do Penedo da Saudade, seguindo para o Jardim Botânico, Rua da Alegria, atravessando a Ponte Pedro e Inês ou Ponte de Santa Clara e ligando-se depois ao Caminho de Fátima e Santiago.

Recorde-se que a CMC foi uma das assinantes da escritura pública da Associação Caminhos de Fátima, celebrada em fevereiro de 2016. O incremento da segurança e melhoria das condições de fruição turística e cultural de todos aqueles que percorrem a pé os caminhos até à Cova da Iria, é o objetivo desta Associação, que pretende ainda fomentar e defender os tradicionais Caminhos de Fátima, em todas as suas dimensões, ajudar o peregrino e promover o património cultural dos Caminhos de Fátima.