Manuel Machado apelou à colaboração das freguesias para garantir segurança dos peregrinos a Fátima

O presidente da Câmara Municipal de Coimbra (CMC), Manuel Machado, apelou hoje à colaboração dos presidentes de juntas e uniões freguesias no sentido de se garantir a maior segurança possível de circulação dos peregrinos, num ano em que se prevê que uma ainda maior quantidade de caminhantes atravesse os 25 km do concelho devido às celebrações do 13 de maio em Fátima, que este ano contam com a presença do Papa. 

À margem da assinatura de Contratos Interadministrativos de Delegação de Competências nas freguesias, Manuel Machado lançou o apelo aos presidentes de junta e uniões de freguesia do concelho, solicitando especial atenção para a importância de se garantir a segurança de circulação das pessoas. “As situações ocorridas em anos anteriores preocupam-nos”, afirmou o autarca, apelando a que “os presidentes de freguesias pudessem ajudar no âmbito do nosso programa de manutenção e limpeza de valetas”, sublinhou. 

“O alerta importante, que envolve todas as entidades administrativas, passa por darmos um contributo - solicitado pelas várias entidades de segurança do Estado e do Santuário de Fátima - de modo a que as pessoas possam circular a pé com condições de segurança aceitável”, acrescentou. Manuel Machado garantiu ainda que, “no caso de esta operação [Caminhos de Fátima e Santiago] vir a ser financiada por fundos do Portugal 2020, conforme anunciado e prometido desde 2015, mas ainda não praticado, a Câmara partilhará, compensando as juntas de freguesia que desenvolvam trabalho nesse domínio”, destacou.

O presidente da CMC adiantou que, “durante a passagem das pessoas para Fátima haverá ruas com interdição automóvel, com especial incidência sobre a zona norte da cidade, devido à previsão de uma grande afluência de pessoas.” Também devido ao facto de a conclusão da construção da nova ponte pedonal e ciclável sobre o Mondego estar prevista para Agosto, está prevista a interdição a automóveis numa via do tabuleiro inferior do Açude Ponte.

Segundo Manuel Machado, a Associação Caminhos de Fátima adotou um trajeto desde São João da Madeira até Ourém, com o acordo de todos os municípios, no qual as várias autoridades e autarquias irão estar especialmente atentas. 

O presidente da CMC revelou ainda que o Município acolheu a ideia, proposta pela Rede de Castelos e Muralhas do Mondego, em conjugação com a Associação Caminhos de Fátima, de criação do Caminho das Carmelitas. A ideia, segundo Manuel Machado, passa pela inclusão nos Caminhos de Fátima - no concelho de Coimbra - do Caminho das Carmelitas. A decisão foi convencionada pelos vários municípios de abrir outra frente no âmbito do Turismo Religioso. 

A Rota das Carmelitas iniciar-se-á no Carmelo situado nas proximidades do Penedo da Saudade, seguindo para o Jardim Botânico, Rua da Alegria, atravessando a Ponte Pedro e Inês ou Ponte de Santa Clara e ligando-se depois ao Caminho de Fátima e Santiago.