Parque de estacionamento do Convento São Francisco vai ser gratuito até estar pronto o da Praça das Cortes

O presidente da Câmara Municipal de Coimbra (CMC), Manuel Machado, inaugurou hoje o parque de estacionamento do Convento São Francisco (CSF), que dispõe de 542 lugares, divididos por quatro pisos. Um parque de estacionamento que é “a última componente de todo o complexo” do CSF (que passa agora a funcionar em pleno), que será para utilização de todos os que moram em Coimbra ou visitam a cidade, e que vai ser gratuito até estar concluído o da Praça das Cortes, situado ali bem perto e que em breve entrará em construção. “Até esse [o parque de estacionamento da Praça das Cortes] estar concluído, este que acabámos de inaugurar ficará de acesso livre (…) a todos os utilizadores, sejam do Convento São Francisco, sejam moradores da cidade ou visitantes”, assegurou Manuel Machado. 

“Assumimos fazer esta celebração exatamente a partir do parque de estacionamento, porque é uma necessidade absoluta deste equipamento municipal, para ele funcionar bem. É a última componente deste complexo”, começou por dizer o presidente da CMC, já no início da conferência de imprensa de balanço de um ano de atividade do CSF (que decorreu no Café-Concerto do CSF), depois de descerrar a placa do novo parque de estacionamento e de uma breve visita ao espaço.

“É uma infraestrutura destinada ao aparcamento automóvel que vai servir este equipamento e os seus utilizadores, mas igualmente os moradores da cidade, as pessoas que cá trabalham ou as que vêm visitar Coimbra. São mais de 500 lugares de estacionamento para o uso geral da cidade”, sublinhou Manuel Machado.

O autarca adiantou ainda que, até o parque de estacionamento da Praça das Cortes estar concluído, o do CSF será gratuito. “Este parque de estacionamento vai manter-se, a partir de hoje, deste instante, aberto ao público, e até o da Praça das Cortes estar concluído, este que acabámos de inaugurar ficará de acesso livre”, referiu o presidente da CMC, recordando que a obra da Praça das Cortes “vai, durante a sua fase de execução, reduzir o número de lugares de estacionamento disponíveis” e que esta foi a solução encontrada. O autarca lembrou ainda que “este conjunto de operações visa precisamente criar infraestruturas para acolher um grande evento no próximo ano, os EUSA Games”.

Um ano após a realização do primeiro evento no renovado CSF, foi então inaugurado a última componente do espaço: o parque de estacionamento. “Hoje dou o meu testemunho de que o equipamento [o CSF] está pronto a ser plenamente utilizado”, acrescentou Manuel Machado, agradecendo a “todos os que intervieram durante a fase de contingência”. “Agradeço a compreensão que tiveram e o esforço feito pelas mais diversas equipas para que tudo corresse bem. E correu muito bem”, salientou.

“Agora, [o CSF] entra em velocidade cruzeiro e é um desafio, não apenas da Câmara, dos autarcas municipais, mas de todos os conimbricenses. A partir de agora, que as portas estão abertas e que já há onde aparcar o automóvel, não há desculpas para isto não ser um êxito, impulsionador do desenvolvimento da nossa cidade, da nossa região, do nosso país”, concluiu o presidente da CMC, na conferência de imprensa que se seguiu à inauguração do parque, e que contou com a presença do presidente da Assembleia Municipal de Coimbra, Luís Marinho, da vice-presidente da CMC, Rosa Reis Marques, e dos vereadores Carina Gomes, Carlos Cidade e Jorge Alves, para além de vários presidentes de Junta ou de Uniões de Freguesia do concelho, entre outras personalidades.

O novo parque de estacionamento é constituído por quatro pisos, sendo um abaixo do solo (piso -4) e os outros três acima (piso -3, piso -2 e piso -1). Dispõe de 542 lugares, que incluem nove lugares para estacionamento destinado aos veículos de pessoas com mobilidade condicionada (três lugares no piso -1 e seis distribuídos  pelos restantes pisos, dois por piso).

Para os utilizadores, além das ligações interiores por escadas ou elevadores, é ainda possível a saída e entrada de pessoas a pé diretamente para a Avenida da Guarda Inglesa e Largo do Rossio de Santa Clara, através de três portas localizadas ao nível da rua (piso -3) e uma porta com acesso a um dos núcleos de escadas junto à fachada. Uma obra que completa toda a estrutura do CSF e que, sublinhou o presidente da CMC, “não foi barata, teve um custo de cerca de seis milhões de euros, mas que já está pronta”.