CMC aprova projeto de requalificação de passeios na Av. Fernando Namora

O executivo da Câmara Municipal de Coimbra (CMC) aprovou, por unanimidade, na sua reunião de ontem, o projeto de “Requalificação dos passeios na Rua Fernando Namora”, obra essa incluída no Contrato Interadministrativo de Delegação de Competências na Freguesia de Santo António dos Olivais, vigente de 2015 a 2017. A obra consiste na aplicação de novos lancis e revestimento do passeio em calçadinha de vidraça, uniformizando mais um troço da avenida, e custará perto de 50 mil euros (já com IVA).

A intervenção vai ser efetuada em dois troços da Av. Fernando Namora, onde se encontram duas paragens de transportes públicos, o que faz com que os peões utilizem o passeio de modo mais recorrente. Para além disso, ao longo do passeio existem árvores que, devido ao seu crescimento e à dimensão das caldeiras que foram executadas na altura da sua plantação, extravasaram para além do espaço que lhes foi atribuído, originando o levantamento de materiais do passeio e tornando a circulação pedonal mais difícil, sobretudo para quem tem mobilidade reduzida. As árvores estão ainda a pressionar a estrutura de dois muros de vedação de um prédio confinante, danificando-os.

Após uma avaliação do estado das árvores, pelos técnicos municipais, concluiu-se que essas se encontram com boas características fitossanitárias, não existindo razão para o seu abate, à exceção das três que estão a exercer pressão sobre os muros, provocando-lhes fissuras e colocando-os em risco de ruir.

O projeto foi, então, desenvolvido sem colocar em causa as árvores, optando-se por criar, lê-se na proposta, “um corredor uniforme em calçadinha de vidraço com 1m de largura, garantindo uma caldeira à arvore, que será revestida com resinas e material inerte com elastómeros, e com um anel contráctil em torno do tronco, permitindo nivelar o espaço e garantindo todas as condições para o normal desenvolvimento das árvores”.

A substituição de parte dos lancis possibilitará ganhar mais altura em relação à via, garantindo que parte das raízes sejam protegidas na zona do passeio. Uma solução, lê-se ainda na proposta, que “vai permitir que os peões possam circular por cima da caldeira, obtendo uma largura de passagem de aproximadamente 2m, dependendo do tamanho da árvore”.

Já no que diz respeito aos muros danificados pelas árvores, serão reconstruídos, um em alvenaria de blocos e outro em elementos pré-fabricados, iguais à envolvente.

O projeto indica ainda que, durante a execução dos trabalhos, a empresa a quem for adjudicada a obra deverá ter um cuidado extremo devido à sensibilidade dos elementos arbóreos e que estes trabalhos deverão estar devidamente identificados com placa de obra e sinalização de obra, de modo a que a circulação se efetue da melhor forma e sem inconvenientes para os utentes. O empreiteiro será responsável pela implementação das boas práticas e normas técnicas em vigor, bem como pelo cumprimento e implementação das regras de higiene e segurança no estaleiro.

Também ao abrigo do Contrato Interadministrativo de Delegação de Competências em 2016 na União de Freguesias de Santa Clara e Castelo Viegas foi aprovado, por unanimidade, o projeto da obra de “Requalificação da cobertura do Recordatório Rainha Santa/Alfredo Bastos”. A intervenção em si apresenta um custo estimado de 26 mil euros.