CMC lança concurso público para o Programa de Apoio a Idosos Isolados - Assistência Telefónica

O presidente da Câmara Municipal de Coimbra (CMC), Manuel Machado, aprovou o lançamento do concurso público para o Programa de Apoio a Idosos Isolados - Assistência Telefónica. Esta iniciativa vai permitir que até 142 idosos isolados de todo o concelho de Coimbra disponham de um sistema de ajuda telefónica a vários níveis e sem custos para os mesmos, uma vez que todo o investimento neste serviço será assegurado pela CMC. 

O programa destina-se a residentes na totalidade do concelho de Coimbra de idade igual ou superior a 65 anos, com rendimentos inferiores ao salário mínimo nacional e que, residindo sós, carecem de acompanhamento. Neste contexto, pelo seu isolamento e muitas vezes falta de mobilidade, é necessário dar resposta a situações de emergência, possibilitando ajuda e socorro imediatos. Este serviço vem ao encontro de outras medidas encetadas, nos últimos três anos, pela CMC, na área da população idosa, como é o caso da Comissão Municipal de Proteção a Idosos.

O programa agora levado a concurso público consiste no funcionamento de uma central de assistência permanente pronta a responder a qualquer situação de emergência, 24h00 por dia, através de um sistema de comunicação rápido e seguro, ao qual cada utente pode aceder facilmente.

Através de um aparelho, o idoso poderá solicitar assistência telefónica, dentro de casa ou fora dela, beneficiando de: Emergência 24h00, com envio urgente de equipa médica, ambulância, polícia, bombeiros, contactos com familiares, amigos ou outras pessoas para prestar auxílio; Atendimento 24h00 para ajudar a combater a solidão; Serviço de alerta e informativo 24h00 – Serviço de alerta (toma de medicamentos, lembranças de consultas ou exames, despertar, etc.) e informação sobre clínicas, hospitais, farmácias de serviço; e ainda Assessoria médica pelo telefone. O sistema irá funcionar todos os dias, 24h00, nos 365 dias do ano, com possibilidade de chamadas sem limite, periódicas ou programadas.

O atendimento profissional terá certificação ISO 9001 e será efetuado por equipa dedicada, com sistema de privacidade e de gravação de chamadas. Todas as chamadas do utente para o serviço não adicionam qualquer custo ao utente. Haverá também apoio aos técnicos da CMC afetos ao projeto, na implementação e gestão do serviço, e disponibilização de relatório mensal das incidências verificadas e acompanhamento efetuado.

O serviço inclui o fornecimento de equipamentos adaptados à prestação do serviço de assistência telefónica; comunicações fixo + móvel para garantir o acesso dentro e fora de casa; botão de alarme pessoal, resistente à água e aos choques, para ativação remota do sistema dentro de casa, que possa ser usado em bracelete ou em colar; sistema alta-voz/mãos livres que permita a comunicação com a central de atendimento; autonomia de energia mínima de 24h00 em standby; alertas silenciosos de falha de energia; identificação automática do aparelho chamador por parte da central de atendimento; e gravação das chamadas recebidas pelo centro de atendimento e registo das ocorrências.

Para que o utente possa beneficiar deste serviço terá de ter mais de 65 anos; viver só e não ter acompanhamento de instituições. O seu rendimento mensal terá de ser inferior ou igual ao salário mínimo nacional (557 euros). Também serão tidos em conta os rendimentos dos filhos do/a candidato/a e, no caso de valores elevados, tal poderá ditar a exclusão do/a candidato/a. Contudo, em situações de negligência por parte dos filhos, será elaborado um relatório social sobre a situação e, conforme a avaliação efetuada, o idoso poderá vir a usufruir do serviço, independentemente dos rendimentos dos filhos, e se respeitar todos os outros critérios de adesão.

Sendo a sinalização dos idosos da responsabilidade das Comissões Sociais de Freguesia, que serão envolvidas diretamente na execução deste programa, caberá à CMC avaliar/selecionar a atribuição do equipamento. A disponibilização deste serviço pelo período de um ano custará ao Município 33.325 euros. A quantidade de equipamentos a distribuir por todas as freguesias/uniões de freguesias do concelho depende do montante de população de cada uma.