O presidente da Câmara Municipal de Coimbra (CMC), Manuel Machado, visitou ontem as obras de restauro da Igreja Paroquial da Freguesia de Almalaguês e, face à solicitação apresentada pelos responsáveis por este edifício de culto cristão, revelou que o Município irá conceder um apoio financeiro de 20 mil euros a esta beneficiação.  

Os trabalhos já realizados na Igreja Matriz incidiram sobre a substituição do telhado e pintura exterior das paredes, no valor de 54.415,20 euros. A segunda fase dos trabalhos incidirá sobre a requalificação do teto, a pintura interior e o sistema elétrico e de som, no valor de 21.661,70 euros. Ou seja, no total a intervenção custará pouco mais de 76 mil euros. 

Depois de visitar a igreja paroquial de Almalaguês, Manuel Machado verificou o avançado estado de degradação em que se encontra a igreja de S. Pedro. 

Além do apoio financeiro às obras na igreja anunciado por Manuel Machado, saliente-se que, no exterior, a CMC reconstruiu o muro do adro da igreja, num investimento de 28.000 euros. Agora, o Município prepara-se para financiar a requalificação do adro da igreja. O concurso encontra-se em fase final de audiência prévia, sendo a proposta mais favorável de cerca de 60.000 euros (+IVA).

A Igreja de S. Tiago (Igreja Paroquial de Almalaguês) está localizada na área de proteção da Capela de S. Pedro e obteve parecer positivo da Direção Regional de Cultura do Centro sobre as obras executadas, nos seguintes termos “…constata-se que os trabalhos se revestem de caraterísticas de conservação e manutenção do imóvel, considerando-se adequados ao imóvel e sem afetação do património classificado, sendo passível de se aceitar a sua implementação, nada havendo a opor à sua concretização”.

O vereador do Urbanismo da CMC, Carlos Cidade, o presidente da Junta de Freguesia de Almalaguês, António Coelho, entre outras personalidades, também estiveram presentes na visita. 

O presidente da Câmara Municipal de Coimbra (CMC), Manuel Machado, entregou ontem a licença de utilização do espaço Museu e Sede do Grupo Folclórico e Etnográfico As Tecedeiras de Almalaguês, localizada na rua do Santo Cristo, em Almalaguês. O vereador da CMC do Urbanismo, Carlos Cidade, o presidente da Junta de Freguesia de Almalaguês, António Coelho, e a recentemente eleita presidente do Grupo Folclórico e Etnográfico As Tecedeiras de Almalaguês, Daniela Paiva, entre outras personalidades, também marcaram presença no ato de entrega.

O Grupo Folclórico e Etnográfico As Tecedeiras de Almalaguês foi fundado em 25 de dezembro de 1976. Tem como objetivo primordial preservar e fazer reviver os costumes, tradições, danças e cantares de Almalaguês e da sua freguesia. Nestas quatro décadas de existência, o grupo tem-se pautado pela pesquisa, recolha e preservação dos usos e costumes do povo entre meados do séc. XIX e princípios do séc. XX. Foi considerado Grupo de Interesse Folclórico pelo Departamento de Cultura e Turismo da CMC, é filiado na Federação do Folclore Português, é sócio fundador da Associação de Folclore e Etnografia da Região do Mondego e foi declarado Coletividade de Utilidade Pública, em 1990.

 

O presidente da Câmara Municipal de Coimbra (CMC), Manuel Machado, visitou ontem as instalações do primeiro Intermarché de Coimbra, situado em Santa Clara. A nova superfície comercial, com data de abertura oficial marcada para o próximo dia 28 de março, criará 60 novos postos de trabalho, número que poderá ainda aumentar. Os vereadores da CMC do Urbanismo e da Proteção Civil, respetivamente Carlos Cidade e Jorge Alves, o presidente da Câmara Municipal de Soure, Mário Jorge Nunes, o presidente da União das Freguesias de Santa Clara e Castelo Viegas, José Simão, entre outras personalidades, também marcaram presença. 

Manuel Machado saudou a chegada a Coimbra do Intermarché, destacando a iniciativa empresarial e o espírito pioneiro que o permitiram. “Bem-vindos a Coimbra, quando aqui havia silvas e monte o senhor Américo Apolinário apareceu-nos com esta ideia, que alguns desacreditavam, mas ele acreditou”, salientou.

A instalação no novo supermercado em Santa Clara, com uma área de venda de 1500 metros quadrados, inclui a beneficiação da rua Central da Mesura e da rua do Bairro Azul, nomeadamente através da criação e/ou regularização de passeios, criação de estacionamentos públicos e melhoria das condições de acessibilidade dos peões e/ou utentes da via pública.

 

Duas centenas de crianças, dos 8 aos 10 anos, participaram, esta manhã, no IV Memorial Eng.º Jorge Lemos, que decorreu no Campo Municipal da Arregaça. Os pequenos futebolistas, de 16 equipas do concelho, disputaram vários jogos, numa manhã de convívio e confraternização. O torneio, organizado pela Câmara Municipal de Coimbra (CMC), com a colaboração da Associação de Futebol de Coimbra (AFC), tem por fim homenagear uma figura incontornável da cidade, o homem do desporto e autarca Jorge Lemos, e fomentar a prática desportiva junto dos mais jovens.

A quarta edição do evento criado pelo atual executivo da CMC com a colaboração da AFC correu pelo melhor. Cerca de 200 crianças participaram no convívio, que pretende homenagear Jorge Lemos, uma personalidade ativa em diversos quadrantes da sociedade, que sempre abraçou o desenvolvimento do desporto no concelho. Os pequenos futebolistas receberam um diploma de participação no evento, que foi entregue pela viúva do homenageado, Maria José Brenha.

“Sentimos-nos extremamente honrados por o Jorge Lemos ser homenageado através do desporto, por o seu trabalho ter continuidade. A preocupação da autarquia para contribuir para o desenvolvimento saudável das crianças e fomentar a prática desportiva junto dos mais jovens é de enaltecer. É o perpetuar da sua existência. No fundo, sentimos que ele continua vivo”, afirmou Maria José Brenha, depois de entregar os diplomas de participação a algumas equipas que participaram no torneio.

O torneio foi criado com o objetivo de fomentar a participação dos mais jovens em atividades desportivas, promovendo hábitos de exercício físico regulares. Nesta edição, cerca de 200 atletas, de 16 equipas do concelho, participaram no evento, numa manhã que se regeu pela confraternização. O torneio, que não teve cariz competitivo, contou com a participação das seguintes equipas: Cernache, Pedrulhense, Esperança, Almalaguês, Associação Académica de Coimbra/Secção de Futebol, Ribeirense, Arzila, Vigor, Assafarge, Souselas, Adémia, Associação Académica de Coimbra/Organismo Autónomo de Futebol, União 1919, Eirense, N10 e o Casaense.

“Este encontro anual já faz parte das nossas vidas”, avançou ainda Maria José Brenha, explicando que, este ano, pela primeira vez, os filhos não estiveram presentes, por se encontrarem fora do país. “Costumamos vir sempre”, acrescentou. “Espero que este encontro se perpetue no tempo”, concluiu Maria José Brenha.

Reforçamos que o IV Memorial Eng.º Jorge Lemos é um convívio de homenagem a uma incontornável figura da cidade. Jorge Lemos teve um papel relevante na promoção e desenvolvimento do desporto no concelho e ocupou, entre outros cargos, o de vereador do Desporto da CMC, deputado da Assembleia Municipal de Coimbra, membro do Conselho Académico da Associação Académica de Coimbra/Organismo Autónomo de Futebol e vice-presidente da Associação de Futebol de Coimbra. 

A embaixadora de Cuba em Portugal, Johana Tablada de la Torre, reuniu ontem ao final da tarde com o presidente da Câmara Municipal de Coimbra (CMC) e da Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP), Manuel Machado. No gabinete do presidente da CMC, Johana Tablada de la Torre solicitou que “as câmaras municipais acompanhem o voto do Parlamento”, uma vez que, conforme recordou a diplomata, a Assembleia da República aprovou uma moção a favor do levantamento do histórico bloqueio económico, comercial e financeiro imposto pelos Estados Unidos da América (EUA) ao seu país. 

Johana Tablada de la Torre referiu ainda que o atual Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, “também já falou do levantamento do bloqueio” e, segundo as suas contas, em outubro próximo, será a 26.ª vez que as Nações Unidas vão aprovar o fim do embargo. Manuel Machado entende que o assunto terá de ser analisado pela direção da ANMP. No plano pessoal, o autarca já assinou, no decurso do atual mandato camarário, uma petição a favor do levantamento do bloqueio norte-americano a Cuba.

Johana Tablada de la Torre solicitou ainda que Manuel Machado leve “uma delegação de autarcas a Cuba”. “Estão a decorrer muitas reformas do Poder Local em Cuba e Portugal tem uma grande experiência de Poder Local”, justificou. Será mais uma proposta a analisar pelos órgãos diretivos da ANMP, mas, na perspetiva de Manuel Machado, será difícil que esta visita possa ocorrer ainda este ano, dada a proximidade das eleições autárquicas em Portugal. Neste ponto do diálogo, Manuel Machado informou a embaixadora cubana de que, entre 2003 e 2006, participou, enquanto técnico, na instalação de municípios em Moçambique. 

A diplomata informou que deixa o cargo de embaixadora no próximo verão e considerou que o seu trabalho em Portugal “correu muito bem”. 

O resto da reunião entre Manuel Machado e Johana Tablada de la Torre focou factos históricos sobre Coimbra e personagens com peso na História que passaram pela cidade. Além da embaixadora, participaram neste encontro os terceiros secretários Anabel Hidalgo e Javier Hernandéz e a assessora Isabel Carvalho, além do presidente do Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Coimbra, Manuel Castelo Branco. 

 

Coimbra acolheu hoje uma sessão pública de esclarecimento sobre a nova Prestação Social para a Inclusão e o novo Modelo de Apoio à Vida Independente (MAVI), duas medidas de proteção social na área da deficiência que se encontram em consulta pública. A sessão decorreu no Departamento de Matemática da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (UC), foi presidida pelo ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Vieira da Silva, e contou com a participação, entre outros, da secretária de Estado da Inclusão das Pessoas com Deficiência, Ana Sofia Antunes, do reitor da UC, João Gabriel Silva, e do vereador da Ação Social da Câmara Municipal de Coimbra (CMC), Jorge Alves. 

“Estas são medidas políticas de inclusão social na área das pessoas com deficiência e necessidades especiais. E têm um código genético que as aproxima: procuram promover o bem-estar das crianças, mulheres e homens a quem se dirigem e centram-se no reforço da vida independente e autónoma destas pessoas”, sintetizou o ministro Vieira da Silva. “O nosso sistema de proteção social praticamente obriga a pessoa com deficiência ou incapacidade a escolher entre a proteção social e a oportunidade de trabalho. Ora, o que queremos é tentar resolver este problema e tentar compatibilizar ao máximo o direito à proteção social e o direito ao trabalho”, acrescentou.

“Estamos aqui para debater publicamente estas duas medidas”, referiu, argumentando que “as políticas públicas ganham com estes debates alargados a toda a sociedade”. “Estaremos atentos e recetivos a todos os contributos deste debate”, concluiu Vieira da Silva, que assim encerrou a sessão de abertura do evento, discursando depois do reitor da UC, que agradeceu a visita do ministro e da secretária de Estado e elogiou a iniciativa do Governo, e do vereador da Ação Social da CMC.

“Parabéns por estas duas medidas e por esta iniciativa de debate público”, afirmou, por sua vez, o vereador Jorge Alves, agradecendo o facto de Coimbra ter sido uma das cidades escolhidas, a par com Lisboa e Porto, para a apresentação das novas medidas de promoção da inclusão de pessoas com deficiência e incapacidade, que o Governo colocou em debate público. “Da nossa parte, contem com a Câmara Municipal de Coimbra para a implementação destas medidas no terreno e para que tenham o melhor resultado possível”, concluiu o vereador da Ação Social da CMC.  

Terminada a sessão de abertura, foi a vez da secretária de Estado, Ana Sofia Antunes, apresentar, mais detalhadamente, a nova Prestação Social para a Inclusão e o novo MAVI. “O que este Governo pretende é uma sociedade que promova efetivamente as pessoas com deficiência, uma sociedade inclusiva. Começámos, por isso, a olhar para o atual sistema de prestações sociais e pusemos mãos à obra. Há um ano que uma equipa restrita está a trabalhar nestas medidas”, avançou Ana Sofia Antunes, explicando que as novas medidas propostas procuram, essencialmente, promover a inclusão das pessoas com deficiência ou incapacidade na vida coletiva.

Depois da apresentação da secretária de Estado da Inclusão das Pessoas com Deficiência, foi tempo de ouvir as questões do público. Um debate que foi moderado pelo presidente do Instituto Nacional para a Reabilitação (INR), Humberto Santos.

A Prestação Social para a Inclusão das pessoas com deficiência ou incapacidade tem por objetivos a melhoria da proteção social, a promoção do combate à pobreza e o incentivo à participação laboral e à autonomização das pessoas com deficiência ou incapacidade, sempre que tal for possível. Sendo uma medida enquadrada no processo de reformulação das prestações sociais na área da deficiência, terá uma implementação faseada entre 2017 e 2019.

Já o MAVI traduz-se na disponibilização de assistência pessoal em atividades de vida diária e de participação definidas pela pessoa com deficiência, contando com o apoio de retaguarda de Centros de Apoio à Vida Independente. Será uma medida que se configurará em projetos-piloto para o período compreendido entre 2017 e 2020.

As novas medidas podem ser conhecidas no Portal do Governo, em http://www.portugal.gov.pt/pt.aspx e no website do INR, em http://www.inr.pt/content/1/1/bemvindo.

Prestação Social para a Inclusão

http://www.inr.pt/uploads/docs/inr/2017/Discussao%20Publica%20-%20Prestacao%20Social%20para%20a%20Inclusao.pdf

MAVI

http://www.inr.pt/uploads/docs/noticias/2017/2017_02%20Proposta_MAVI_Assist%C3%83%C2%AAncia_Pessoal_Portugal_2017_2020_Audi%C3%83%C2%A7%C3%83%C2%A3o_P%C3%83%C2%BAblica.pdf

A Câmara Municipal de Coimbra (CMC) realiza, durante os dias úteis das semanas de 5 a 11 de abril e de 12 a 18 de abril, a iniciativa “Dias Desportivos da Páscoa – Coimbra 2017”. O programa - aprovado por unanimidade na última reunião do executivo camarário – prevê a ocupação dos tempos livres e é dirigido a crianças e jovens dos 6 aos 12 anos, divididas em grupos consoante as idades. O objetivo passa por preencher os dias úteis de férias escolares com atividades lúdicas e desportivas, de promoção do convívio e do desenvolvimento de espírito de grupo.

As inscrições arrancam no próximo dia 27 de março, no Centro Olímpico de Piscinas Municipais, situado na Praça Heróis do Ultramar, e podem ser efetuadas entre as 9h00 e as 17h00. O máximo de inscritos será de 80 participantes por semana e cada pessoa pode inscrever 3 crianças/jovens ou o número de crianças/jovens do respetivo agregado familiar.

A participação nestas atividades implica o pagamento de 15 euros, na primeira semana de 5 a 11 de abril (5 dias úteis), e de 13 euros, na semana de 12 a 18 de abril (4 dias úteis). No caso dos beneficiários dos 1.º, 2.º e 3.º escalões da Ação Social Escolar da Câmara Municipal de Coimbra, o preço é de 5 euros por cada semana. Todos estes valores incluem almoço e seguro para os participantes.  

Basquetebol, Judo, Futsal, Râguebi, Ginástica, Andebol, Yoga, Jogos Tradicionais, Futebol de 7, Natação/Jogos Aquáticos, Boxe, Karaté, Kickboxing, Patinagem, Golfe, Hóquei em Patins e visita ao Exploratório e Observatório Geofísico são as atividades previstas. Quanto a locais, elas desenrolam-se, além dos espaços já referidos, no Pavilhão Municipal Multidesportos Mário Mexia, Piscinas Municipais Luís Lopes da Conceição, Parque Verde do Mondego e Quinta das Lágrimas. 

As atividades vão decorrer entre as 9h00 e as 17h00 e serão orientadas por técnicos da Câmara Municipal de Coimbra, com o apoio de especialistas nas várias modalidades desportivas, disponibilizados por clubes com quem a autarquia tem Contratos Programa de Desenvolvimento Desportivo. 

Com esta iniciativa, o Município pretende oferecer uma resposta às famílias para a ocupação dos tempos livres dos seus filhos em período de férias escolares, promovendo a prática de atividade física e de hábitos de vida saudáveis junto dos mais novos. O programa tem vindo a crescer de ano para ano, tendo registado 38 participantes em 2013, 53 em 2014, 65 em 2015 e 160 em 2016.

Consulte aqui a Ficha de Inscrição

Consulte aqui o Calendário dos Dias Desportivos | 1ª Semana - 2ª Semana

 

A Antiga Igreja do Convento São Francisco recebe, no próximo sábado, dia 25 de março, pelas 21h30, o concerto de estreia do V CICLO DE REQUIEM – COIMBRA 2017, uma iniciativa do Coro Sinfónico Inês de Castro (CSIC) com o Alto Patrocínio da Câmara Municipal de Coimbra.

“Stabat Mater”, de Gioacchino Rossini é a obra que abre o ciclo e que será dirigida pelo maestro António Vassalo Lourenço. Em palco a Orquestra Filarmonia das Beiras e o Coro do Departamento de Comunicação e Arte da Universidade de Aveiro interpretarão uma das mais comoventes composições de Rossini. Liliana Nogueira, soprano; Rafaela Veiga, mezzo-soprano; Pedro Rodrigues, Tenor; José Corvelo, baixo compõem o naipe de solistas que, em “Stabat Mater”, cantam a dor de Maria, mãe de Jesus, nos momentos finais da sua cruxificação.

Os bilhetes para este Concerto I do V CICLO DE REQUIEM – COIMBRA 2017 custam 10 euros e podem ser comprados nas bilheteiras do Convento São Francisco, na FNAC, na bilheteira BOL, no Cowork.Coimbra ou através do email corosinfonicoinesdecastro@gmail.com.

O V Ciclo de Requiem decorre de 25 de março a 14 de abril no Convento de São Francisco, no Conservatório de Música de Coimbra e na Sé Velha. Pelos palcos do ciclo passarão obras de Mozart, Jenkins, Rossini e Brahms.

Próximos concertos:

CONCERTO II - Concerto Solidário a reverter para a “ERGUE-TE”
In Paradisum (Canto gregoriano para a liturgia exequial)
DATA: 1 de Abril
HORA: 21h30
LOCAL: Sé Velha de Coimbra
DURAÇÃO: ca 66’00’’
INTÉRPRETES:
Coro: Capela Gregoriana Psalterium
DIRECÇÃO: Alberto Medina de Seiça
Bilhetes: entrada livre mediante entrega de donativo para a ERGUE-TE

CONCERTO III
Requiem em Ré m, K. 626, Wolfgang Amadeus Mozart (1756-1791)
DATA: 2 de abril
DATA: 18h00
LOCAl: Grande Auditório do Convento São Francisco
DURAÇÃO: ca 60’00’’
INTÉRPRETES:
Coro: Coro Sinfónico Inês de Castro
Orquestra: Orquestra do Norte
Solistas: Bárbara Barradas – Soprano; Cátia Moreso - Mezzo-soprano; João Terleira – Tenor; Rui Silva - Baixo
DIRECÇÃO: Artur Pinho Maria
Bilhetes: entre os 5 euros e os 18 euros

CONCERTO IV
Missa “The Armed Man”, Karl Jenkins (1944)
DATA: 8 de abril
HORA: 21h30
LOCAL: Auditório do Conservatório de Música de Coimbra
DURAÇÃO: ca 70’00’’
INTÉRPRETES:
Coros: Coro da Universidade do Minho e Coro do Conservatório Superior de Musica de Vigo
Orquestra: Orquestra da Universidade do Minho
Solistas: Patrícia Quintas – Mezzo-soprano; Pedro Telles – Baixo
DIREÇÃO: Ertug Korkmaz
Bilhetes: 10 euros

CONCERTO V
Um Requiem Alemão op. 45, JOHANNES BRAHMS 
DATA: 14 de abril
HORA: 18h00
LOCAL: Auditório do Conservatório de Música de Coimbra
DURAÇÃO: ca 80’00’’
INTÉRPRETES:
Coro: Coro Sinfónico Inês de Castro
Orquestra: Orquestra de Espinho
Solistas: Carla Caramujo – Soprano; Rodrigo Carvalho - Baixo
DIREÇÃO Pedro Neves
Bilhetes: 10 euros

O Café Concerto do Convento São Francisco foi, esta quarta-feira, palco da sessão de apresentação do livro “Imprensa e I Guerra Mundial Censura e Propaganda 1914-1918”, da autoria de Noémia Malva Novais, editado pela Caleidoscópio em parceria com o Centro República. A apresentação, que teve o apoio da Câmara Municipal de Coimbra (CMC), contou, para além da autora, com a presença do presidente da CMC, Manuel Machado, da vereadora da Cultura, Carina Gomes, do Editor da Caleidoscópio, Jorge Ferreira, e da historiadora Isabel Nobre Vargues, que fez a apresentação da obra, além de algumas individualidades militares, familiares da autora e algum público. 

Manuel Machado começou por saudar os presentes, lembrando que o Convento São Francisco se “destina a várias atividades como esta, que é a apresentação de livros e debate sobre a literatura, sobre as artes”. O presidente da CMC lembrou que a autora, Noémia Malva Novais, trabalha na Associação Nacional de Municípios Portugueses, a que tem a honra de presidir. “Por isso eu tenho um prazer muito especial em estar aqui a testemunhar, perante vós, o quanto é para nós importante ter colaboradores que se dedicam e estudam e apresentam trabalho em vários domínios, incluído o literário e de recolha histórica relevantes de um tempo que por sorte nenhum de nós pode viver”, referiu o edil. “Mas, por aquilo que ouvimos dizer e por aquilo que vamos lendo, foi um tempo marcante ou talvez determinante daquilo que ainda hoje somos”, concluiu o presidente da CMC.

 

O presidente da Câmara Municipal de Coimbra (CMC), Manuel Machado, consignou hoje a empreitada de requalificação da Praça das Cortes de Coimbra à empresa Irmãos Almeida Cabral Lda., pelo valor de 421.198 euros (c/IVA) e um prazo de execução de 210 dias. “O parque de estacionamento não é apenas para os utilizadores do estádio universitário, mas também para os utilizadores do centro da cidade”, afirmou Manuel Machado, revelando que a autarquia irá criar um novo parque de estacionamento gratuito, junto aos Serviços Municipalizados de Transportes Urbanos de Coimbra (SMTUC), que os automobilistas poderão usar como alternativa durante e após a empreitada. 

Carlos Cidade, vereador da CMC do Urbanismo, Diamantino de Almeida Cabral, representante da firma adjudicatária e diversos técnicos municipais, também marcaram presença no ato. 

Segundo Manuel Machado, prevê-se que a conclusão dos trabalhos ocorra ainda durante o ano em curso, a tempo, portanto, do início dos Jogos Europeus Universitários (EUSA Games) de 2018, que terão o seu epicentro no complexo do Estádio Universitário, equipamento desportivo situado nas proximidades da Praça das Cortes. “O tempo de execução desta empreitada é muito importante porque ela tem de estar pronta bem antes dos treinos para os EUSA Games”, vincou.

“Queremos mostrar uma cidade como ela é, bonita e ainda melhor” através, segundo o edil, de um projeto simples “que servirá a cidade e as pessoas que a usam”.

A obra que a partir de hoje se inicia visa melhorar a Praça das Cortes, que atualmente funciona como estacionamento desregrado e é um espaço público bastante percorrido por pessoas que trabalham na cidade, turistas e utilizadores do Estádio Universitário. A empreitada irá beneficiar as estruturas envolventes, através da construção, na secção norte da praça, de um parque de estacionamento fechado, e de uma zona pedonal, a sul, que funcionará como “receção” para quem atravessa a ponte. 

A renovação desta área urbana inclui a plantação de 46 árvores. Lódãos no parque do estacionamento, jacarandás na zona pedonal, e freixos europeus no talude entre o estacionamento e a secção pedonal. Já o passeio junto ao Estádio Universitário será prolongado até à Av. João das Regras, melhorando o acesso pedonal.

A Praça das Cortes foi alvo de uma intervenção cuidada aquando da construção do Estádio Universitário, mas que não chegou a ser concluída, restando hoje poucos vestígios da mesma. Como, na altura, não foram criados os parques de estacionamento inicialmente previstos para o estádio, esta área tem vindo a ser utilizada, intensivamente, como estacionamento desregrado. Um uso que contribuiu para degradar o espaço, com a ocupação e deterioração dos passeios e de zonas que foram inicialmente ajardinadas. 

O acesso ao futuro parque de 175 lugares (quatro dos quais destinados a automobilistas com mobilidade reduzida) far-se-á a partir das avenidas de Conímbriga ou João das Regras, efetuando-se a saída através da Av. de Conímbriga. A acessibilidade ao parque será limitada por baias, estando prevista a construção de uma cabine para cobrança e controlo. Na Av. de Conímbriga e na entrada do parque serão instalados painéis com informação sobre a disponibilidade de aparcamento. Ainda no exterior do parqueamento estão projetados mais 19 lugares de estacionamento controlados por parquímetros. 

A empreitada necessita de acompanhamento arqueológico, que será efetuado por técnicos da CMC, de modo a não onerar o custo da construção do estacionamento.

Ouça aqui a intervenção de Manuel Machado.