Programação de qualidade do Convento São Francisco continua dentro de momentos

O Convento São Francisco (CSF) celebra amanhã um ano de atividade com um concerto de Dulce Pontes. Um ano experimental, mas que contabiliza a passagem de cerca de 20 mil congressistas, mais de 35 mil espetadores e várias centenas de artistas pelo espaço, informou hoje o presidente da Câmara Municipal de Coimbra (CMC), Manuel Machado, na conferência de imprensa de balanço de um ano atividade do CSF, que decorreu no Café-Concerto deste complexo.

Mas muito mais aí vem. Grigory Sokolov, The Gift, José González, Salvador Sobral, António Zambujo, Ana Moura e Ney Mato Grosso são alguns dos nomes que já estão confirmados para atuarem, este ano, no Grande Auditório do CSF.

Um ano depois do renovado convento ter aberto as suas portas ao público, com a exibição da peça “Bichos”, baseada na famosa obra de Miguel Torga, será a vez de Dulce Pontes encantar a plateia do Grande Auditório do CSF, amanhã, pelas 21h30. Um concerto que tem por base o seu novo álbum, “Peregrinação”, e que vai assinalar o primeiro aniversário do CSF, enquanto espaço de cultura e congressos. Mas Dulce Pontes não será o único nome sonante da música a pisar o palco do Grande Auditório do CSF este ano. Os nomes que já estão confirmados são muitos e garantem uma programação aliciante e de qualidade para os meses vindouros.

A informação foi avançada hoje pela vereadora da Cultura da CMC durante a conferência de imprensa que decorreu no CSF. Carina Gomes foi questionada pelos jornalistas sobre a programação musical dos próximos meses e avançou nomes como Grigory Sokolov, The Gift, José González, Salvador Sobral, António Zambujo, Ana Moura e Ney Mato Grosso. Grigory Sokolov é considerado um dos maiores pianistas a nível mundial e vai pisar o palco do Grande Auditório ainda este mês, no dia 24 de abril, às 21h30. Seguem-se os The Gift, no dia 3 de maio, às 22h0; José González, no dia 4 de maio, às 22h00; Salvador Sobral, no dia 6 de julho, às 21h30; António Zambujo, que irá cantar Chico Buarque, no dia 10 de junho, pelas 22h00; Ney Mato Grosso, no dia 14 de junho, pelas 21h30; e Ana Moura, no dia 4 de novembro, às 22h00.

Primeiro ano de atividade com balanço positivo

Uma programação de excelência, que vem na continuidade do que foi feito até então. “A Câmara Municipal de Coimbra tem apostado numa programação cultural variada, para todos os gostos, estruturada nas áreas de produção artística, expositiva, projeto educativo e mediação de públicos e, ainda, apoio à criação artística”, afirmou o presidente da CMC durante a conferência de imprensa.

“Programámos para o Convento cerca de uma centena de espetáculos de música, teatro, dança, magia e novo circo que, a par das exposições e das várias ações de serviço educativo, foram assistidos por 37.296 expectadores”, acrescentou ainda Manuel Machado, lembrando que “já passaram pelo Convento São Francisco grandes nomes nacionais e internacionais das mais variadas áreas de expressão artística”.

Como por exemplo, no teatro, Maria Ruef; na dança, Thao Dance Theatre; no novo circo, Mostra que é Circo; na magia, Encontros Mágicos - uma organização da CMC com produção de Luís de Matos, que este ano volta ao CSF; na música, Pedro Burmester e Mário Laginha, Benjamin Clementine, Michael Nyman, Mariza, Rodrigo Leão e Scott Mathew, Maria Rita, Peter Murphy ou Tindersticks e, mais recentemente, Gisela João, Miguel Araújo e Tais Quais.

O presidente da CMC revelou ainda que o CSF tem suscitado interesse junto de vários artistas nacionais, “que já procuram o Convento, tanto para realizarem os seus espetáculos, como para gravarem partes dos seus novos álbuns ou singles promocionais”. Manuel Machado falou ainda do serviço expositivo – realçando o projeto FIO | Memórias como Matéria-prima, pela Mistaker Maker e o artista Samina, no qual se retratou a história do CSF como fábrica de lanifícios – e também da dinamização de workshops e visitas guiadas que foram sendo desenvolvidas e que contaram, até ao momento, com um total de 1077 participantes. 

O autarca fez ainda referência ao projeto educativo e de mediação de públicos que a CMC desenvolveu para o CSF, lembrando que a autarquia idealizou e promoveu cerca de quatro dezenas de ações que, ao longo de várias sessões, contaram com a participação de milhares de pessoas. “Já o trabalho que se tem vindo a desenvolver na afirmação do Convento São Francisco na área MICE, através da captação de encontros, congressos e reuniões, constitui-se numa mais-valia para a dinamização do tecido económico, empresarial e turístico da região e do país”, acrescentou Manuel Machado.

Manuel Machado referiu, ainda, “as condições excecionais” do CSF – equipado com tecnologia de topo, tanto no Grande Auditório, quanto em todas as outras salas polivalentes e na antiga igreja do Convento – e mostrou-se satisfeito com os resultados conseguidos neste ano de atividade e com o trabalho desenvolvido pela câmara municipal. “Já se sentem os efeitos positivos do Convento São Francisco na cidade, na região e no país”, considerou o autarca, concluindo: “Não tenho dúvidas de que este equipamento municipal já está a gerar valor e a contribuir para o desenvolvimento económico e cultural da cidade e da região”.