CMC formaliza apoio financeiro à Orquestra Clássica do Centro no valor de 180.000 euros

O presidente da Câmara Municipal de Coimbra, Manuel Machado, assinou, ontem, o Protocolo de Apoio Financeiro Municipal ao Associativismo Cultural para Atividade permanente em 2017 entre o Município e a Associação Orquestra Clássica do Centro (OCC), entidade gestora do equipamento cultural municipal Pavilhão Centro de Portugal, no valor de 180.000 euros. O documento, válido até ao final do presente ano, tem por objeto dotar a OCC de condições necessárias ao normal desenvolvimento da sua atividade de criação e produção artísticas na área da música, em Coimbra. Manuel Machado salientou a rapidez com que os serviços camarários proporcionaram a assinatura do documento. 

O ato decorreu na Sala de Despacho Privado da Câmara Municipal de Coimbra (CMC), e contou também com a presença da vereadora da Cultura, Carina Gomes. Por parte da OCC, o protocolo de colaboração foi assinado pela presidente da direção, Emília Cabral Martins, e pelo vice-presidente, António Pinho Marques. 

Com a assinatura deste protocolo, a OCC compromete-se a cumprir o programa por si apresentado no âmbito da candidatura, bem como a: divulgar e promover a música nas suas diversas vertentes; promover novos projetos e acolher projetos emergentes; definir estratégias de mediação de públicos e a incluir serviço educativo; apresentar estratégias que assegurem a continuidade e a solidez do projeto; apresentar programação regular do espaço [Pavilhão Centro de Portugal], demonstrando articulação adequada entre as produções próprias e as iniciativas externas acolhidas; integrar a atividade desenvolvida na dinâmica cultural da cidade, de forma a que o equipamento [Pavilhão Centro de Portugal] constitua um polo de atração, contribuindo para a vitalidade da área em que está inserido;  dinamizar frequentemente o equipamento com outras iniciativas complementares que atraiam grande quantidade de públicos; realizar os concertos de Ano Novo, Páscoa, Prémio Jovens Finalistas do Conservatório de Música de Coimbra, Festas da Cidade e Natal, com entrada gratuita, que o Município oferecerá à Cidade de Coimbra. 

A OCC apresentou-se pela primeira vez, enquanto orquestra profissional, em dezembro de 2001, na altura com 25 elementos e com a denominação de Orquestra de Câmara de Coimbra. Considerada de superior interesse cultural pelo Ministério da Cultura, a OCC encontra-se abrangida, desde então, pela Lei do Mecenato Cultural (atual Estatuto dos Benefícios Fiscais). Em 2002, a Orquestra passou a ser composta por 32 elementos, sendo esta a sua atual constituição. Já em 2004 viu aprovada, por unanimidade, em Assembleia-Geral, a alteração da sua designação para Orquestra Clássica do Centro. Do seu historial destacam-se os concertos que tiveram lugar em monumentos arquitetónicos e o alargamento da sua atividade a municípios e distritos mais diferenciados. Passou ainda a contar com o contributo solístico e de regência de notáveis figuras do nosso panorama musical, encontrando também meios para, pontualmente, produzir concertos com uma densidade tímbrica e orquestral sinfónica. Tem, desde setembro de 2016, o estatuto de Organização Não Governamental para o Desenvolvimento.