(In)citação de 20 abril

«Encontrei, durante a guerra, um homem perfeitamente duro de coração ressequido. Era um médico. O espetáculo das misérias, dos sofrimentos, dos ferimentos não parecia tocá-lo. Mantinha, no exercício do seu horrível dever, uma indiferença elegante, por vezes levemente irónica. Jamais um movimento de simpatia. Jamais uma palavra de compaixão. Ora um dia fui dar com ele, não sem estupefação da minha parte, com o rosto afogado em lágrimas. Estava a ler um livro sobre a guerra, um livro que lhe contava exatamente o que ele via todos os dias e a cada minuto da cada dia. Se eu tivesse até aí ignorado a força do verbo, tê-la-ia sem dúvida entrevisto naquela ocasião.»

Georges Duhamel, citado por José António Gomes
in Leitura, literatura para a infância e bibliotecas escolares

(Citação selecionada pela Escola Secundária de Jaime Cortesão)